OCDE: taxa de desemprego em Portugal recua para 10,8%

País manteve-se no quarto lugar do grupo com números de desemprego mais elevados em Julho, depois de Espanha, República Checa e Irlanda

A taxa de desemprego estimada pela OCDE para Portugal recuou em Julho para os 10,8%. Ainda assim, o país manteve-se no quarto lugar do ranking da organização no grupo dos países com os números do desemprego mais elevados.

O recuo verificado foi de 0,2 pontos percentuais face a Junho. Portugal surge depois de Espanha, que subiu para os 20,3%, da República Checa (15%) e Irlanda (13,6%).

Os valores mais baixos foram observados na Coreia do Sul, com uma taxa de desemprego de 3,7 por cento e na Áustria (3,8%), escreve a agência Lusa.

No conjunto dos países da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, a taxa manteve-se em Julho nos 8,5%(o mesmo valor observado em Junho), com o número de desempregados a manter-se nos 45,5 milhões de pessoas.

As taxas de desemprego médias dos países da União Europeia e da Zona Euro mantiveram-se estáveis nos 9,6% e nos 10%, respectivamente, segundo as estimativas daquela organização.

No mês analisado, a taxa de desemprego caiu em 9 países para os quais a OCDE tem valores disponíveis, subiu em 8 e manteve-se inalterada noutros 5. Agência Financeira

+ler notícia: http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/desemprego-ocde-taxa-de-desemprego-trabalho-emprego-agencia-financeira/1191465-1730.html

Anúncios

Portugal perderá mais de 70 mil empregos até final de 2011

A taxa de desemprego em Portugal continuará a subir até aos 11,1% este ano e quase 12% no próximo ano, com um total superior a 70 mil empregos perdidos até final de 2011.

De acordo com o Diário Económico, este é o cenário de referência utilizado pelos supervisores para testar a resistência dos bancos portugueses.

As estimativas foram traçadas pelo Comité das Autoridades Europeias de Supervisão Bancária (CEBS) – em colaboração com a Comissão Europeia e o Banco de Portugal (BdP) – e têm por base uma taxa de crescimento débil para a economia portuguesa.

«Contas feitas, a projecção implica um corte líquido de mais 29.500 postos de trabalho até ao Natal e outros 45 mil ao longo do próximo ano», detalha o Económico.

O conselho de supervisores não espera que o produto interno bruto (PIB) cresça mais de 0,5% este ano e 0,2% no próximo – um cenário que vai ao encontro do trajecto esperado pelo BdP.

+Ler notícia: http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=2&id_news=141131

Taxa de desemprego em Portugal é a que mais sobe na Zona Euro

A taxa de desemprego em Portugal, medida pelo Eurostat, atingiu um novo máximo em Abril, alcançando os 10,8% da população activa.

Segundo o gabinete de estatísticas da União Europeia, a taxa de desemprego passou dos 10,4% em Janeiro e Fevereiro, para os 10,6% em Março e 10,8% em Abril.

O valor de Abril compara com os 9,2% registados um ano antes.

No mês em análise, Portugal passou a ocupar a 4ª posição dos países da União Europeia (UE) com a taxa de desemprego mais elevada, segundo os cálculos do Eurostat. No primeiro lugar da lista estão a Letónia (com 22,5%), Espanha (com 19,7%) e Eslováquia (com 14,1%). 

As mais baixas taxas de desemprego, por sua vez, situam-se na Holanda (4,1%) e Áustria (4,9%).

+Ler noticia: http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1583388