WEF 2012 Talent Mobility Good Practices. Collaboration at the Core of Driving Economic Growth

World Economic Forum 2012 Talent Mobility Good Practices – Collaboration at the Core of Driving Economic Growth.

NGOs and international organizations should (pag 19):
• Recognize the importance of suitable employment for sustainable and equitable economic development, and actively seek the engagement of their constituencies in economic activity.
• Develop a fact-based case for multiple stakeholder collaboration by analysing the impact of current programmes and modelling the potential value of aligning with other interested parties. NGOs that can share such proof points will have an advantage in retaining and attracting donors and in the process earn the needed credibility to lead collaborative initiatives of their own.
• Exploit their ability to bridge the public and private sphere to lead talent mobility efforts. The impartiality of NGOs ideally positions them to play this facilitation role, particularly when public and private priorities and biases may undermine collaborative opportunities.
• Take steps to ensure that networking and collaborative activity do not become a back channel for the pursuit of partners’ private commercial interests.
• Advocate for the individuals impacted by talent mobility practices to ensure that practices are aligned not only with the needs of employers, but also with the needs of individuals and communities.

Read Report: http://www3.weforum.org/docs/WEF_PS_TalentMobility_Report_2012.pdf

Check website WEF: http://www.weforum.org/

Anúncios

Partilha de Best Practice Gestão de Talentos Dianova 2011

A Gestão de Talentos é uma prioridade estratégica a que nenhuma Organização (pública ou privada, com ou sem fins lucrativos) pode deixar de investir sob pena de perda do seu capital humano e técnico e consequente deterioração das suas operações e sustentabilidade.

Não é assim de estranhar que as Organizações Sociais tenham-se apercebido deste facto e enveredado por processos de profissionalização dos seus Quadros, quer técnicos quer de gestão, permitindo-lhes responder de forma mais eficiente e eficaz aos inúmeros desafios e oportunidades que se colocam a estas Organizações.

Um desses exemplos é a Dianova Portugal, Instituição Particular de Solidariedade Social, Associação de Utilidade Pública e Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento, que tem vindo a investir na sua própria Marca Empregadora para melhor atrair, mobilizar e reter os Talentos que fazem desta Organização um estudo de caso a explorar e potenciar como benchmarking para outras Organizações alcançarem melhores performances.

Apesar de recorrer a Voluntariado para acções muito específicas e pontuais, a Dianova tem um especial orgulho na diferenciação e estabilidade da sua Equipa / Quadros, concorrendo para tal o facto de 85% serem Colaboradores directos e 60% com contratos sem termo, permitindo-lhe prosseguir um rumo de propósito social orientado à sustentabilidade com maior optimismo e eficiência na área de Gestão de Talentos.

Ver apresentação Slideshare (português): http://www.slideshare.net/Dianova/conferencia-stanton-chase-dianova-portugal-2011

See presentation Slideshare (english): http://www.slideshare.net/Dianova/best-practice-talent-management-model-dianova-portugal-2011