Social Media DO’s and DON’Ts: 8 Pivotal Tips

An increasing number of companies has accepted social media as part of their public relations and communications strategy. These tools can drive sales and help you reach new markets; they can also create public relations nightmares.

So while social media has gone mainstream, quite a few companies continue to struggle with achieving effective engagement. This post addresses the social media DOs and DON’Ts for companies that want to keep up with their engaged community. 

Effective social media use that achieves desired results: How to get there

Here are some tips on how companies can use social media smartly as part of their business strategy.

1. Answer the critics: It is important to listen and respond to all clients, not just those who rave about your company and product(s).

2. Empower users to engage: This means giving them a voice and content to work with; allowing them to comment on blog posts and NOT removing negative comments from user forums, blogs, etc., but responding respectfully with facts.

3. Be personable: It is a delicate balance to strike between being a personable social media user and representing the brand in a professional way on personal Twitter or Facebook accounts.

4. Empower your staff: Everybody is a social media evangelist and to make it work properly, staff across the enterprise must be empowered to leverage social media in support of the brand and its product(s).

5. Tend your garden: Social media takes effort and time, whereby better customer service and client engagement help build a dedicated following – word-of-mouth marketing supports the company’s sales efforts.

6. Start, set and re-assess proper objectives: Do not expect to do it perfectly right from the start, but rather start today than tomorrow and watch the trends in order to make adjustments as needed.

7. Provide staff with guidance: Decide what guidance to give all staff on expressing their own, and their company’s opinions through their personal social media channels. Corporate social media guidelines are a prerequisite.

8. Connect with your audience: Whatever tool or channel you try, social media content is read by people from different countries, cultures, religions and levels of education, requiring that you write like the average wise and polite person on the street, and speak the lingua franca (universal language) so people get the message right away.

 +Ler Artigo: http://socialmediatoday.com/ursegattiker1/149403/social-media-dos-and-don%E2%80%99ts-8-pivotal-tips?utm_source=smt_newsletter&utm_medium=email&utm_campaign=newsletter

+Ler Fonte Artigo: http://commetrics.com/articles/social-media-metrics-how-to-do-it-right-while-avoiding-another-public-relations-disaster/

Anúncios

Facebook atinge marca de 500 milhões de utilizadores

A rede social Facebook anunciou hoje ter alcançado a marca de meio milhão de utilizadores em todo o mundo. “Na manhã de hoje, 500 milhões de pessoas em todo o mundo já estavam a utilizar activamente o Facebook para se manterem conectadas a amigos e a outras pessoas de seu convívio”, escreveu Mark Zuckerberg, executivo-chefe do Facebook, no seu blog. “Muitas pessoas mais têm a oportunidade de continuar conectadas com as pessoas com quem se importam”, prosseguiu ele.

A popularidade da rede social aumenta, apesar das persistentes críticas relacionadas às políticas de privacidade da empresa. Em maio, a rede social permitiu aos seus utilizadores ter mais controle sobre as contas e as configurações de segurança, depois de queixas com relação à complexidade dos controles de privacidade.

O Facebook tem sido cada vez mais visto como uma ameaça a gigantes da internet, como Google e Yahoo, o que deve ganhar ainda mais força se a empresa conseguir desenvolver com sucesso um modelo de negócios de anúncios baseado em recomendações de amigos, ao invés de se sustentar em buscas de anúncios. Estadão

+Ler notícia: http://www.estadao.com.br/noticias/geral,facebook-atinge-marca-de-500-milhoes-de-usuarios,584339,0.htm

Social Media ROI

Os benefícios – económicos e envolvimento – da utilização dos Media Sociais para as Marcas (lucrativas e causas sociais): Return On Investment vs Return on Involvement.

Socialnomics: The Social Media Revolution

Uma nova forma de arquitectura, comunicação e relacionamento social.

Social media: aprender a perder o controlo

“Aprender a ir perdendo o controlo sem perder o controlo”, o que requer uma mudança no nosso comportamento em que temos que “aprender a confiar nas Pessoas, ser Abertos e Honestos nas conversações e Ouvir mais” é a grande conclusão que nos transmite Soumitra Dutta, Roland Berger Prof. of Business and Technology and Dean of External Relations do INSEAD, sobre a questão de como lidar com os Media Sociais e Relações Internas e comentários depreciativos na actual arquitectura social horizontal Web 2.0.

Partilho alguns comentários através das Redes Sociais sobre o post https://aprendercrescerconcretizar.wordpress.com/2010/05/21/garantindo-uma-boa-reputacao-online-como-combater-a-descredito-digital/ que deixam outras pistas a Profissionais e Organizações sobre a questão colocada:

Kathry Alexander, President, CEO, Ethical Impact, L3C: “Tratar bem os empregados e clientes para uma reputação de sucesso; e manter uma participação nos Media Sociais endereçando os tópicos de debate de forma honesta, consistente e imediata”.

Jorge Cunha, Consultant at Netopolis, pensa tratar-se de um problema educacional ao nível pessoal e empresarial

Nigel Sarbuts, B-M Group: “Enforcement of what? Enforcement of what exactly? The whole point about social media is that nobody owns it or controls it, so who is going to enforce whom and how? Glib statements like ‘have better policies’ are anything but solutions, they are delusions.        

Stephen Davies, da 3WPR,  também concorda que a abordagem “stricter enforcement” não é adequada para os Media sociais. Setphen recomenda que se eduque os empregados que, mesmo nos seus tempos fora da empresa, continuam a representá-la e caso diga algo online que danifique a reputação da empresa terá consequências tal como teria no mundo real.

É apenas uma questão de bom senso e de equilíbrio entre as actuais esfumadas marcas pessoais e organizacionais no mundo online!

Garantindo uma boa Reputação Online: como combater a descrédito Digital?

Cada vez mais empresas estão a ser confrontadas com as consequências que os Media Sociais podem ter nas relações em local de trabalho e na imagem corporativa. A proliferação de blogs e media sociais torna mais fácil a disseminação de comentários depreciativos sobre uma empresa. As empresas (e Organizações da Sociedade Civil como a Dianova) estão claramente preocupadas com o potencial dos media sociais para danificar as marcas (pessoais ou corporativas). Dois artigos – da CNN e da Law – apresentam a mesma solução: melhores políticas e regulação mais estrita.

Lei os artigos na integra:
– CNN http://edition.cnn.com/2010/LIVING/05/12/social.media.work.rants/?hpt=Mid

– LAW http://www.law.com/jsp/lawtechnologynews/PubArticleLTN.jsp?id=1202457997729

Qual a sua opinião acerca deste tema e desta solução em concreto?!

Engaging & Compliant Healthcare Communications Conference

Realiza-se a 26 de Maio, no The Grange City Hotel, Londres, a conferência “Engaging & Compliant Healthcare Communications” sobre como usar eficaz e criativamente os novos canais de Social Media para comunicar de forma ética num ambiente regulado. Irão ser debatidos 6 painéis centrais: 1) Actualização do Código de Prática, 2) Redes Sociais e ´Healthcare: um casamento infeliz?, 3) Lidando com os Novos Media, 4) Prepara-se para responder adequadamente, 5) Gestão da Reputação e 6) Gestão de Crise – seja proactivo, não reactivo. + info sobre Programa http://offlinehbpl.hbpl.co.uk/HaymarketEventsAttachments/WRP/PRhealth_web.pdf