Farmácias nos hospitais aderem à unidose

Utente vai poder comprar remédios à medida das suas necessidades dentro de algumas semanas. Anúncio foi feito hoje pela ministra da Saúde durante a apresentação de uma nova campanha de promoção dos genéricos.

As farmácias abertas ao público em seis hospitais públicos – Santo André (Leiria), Santa Maria (Lisboa), São João (Porto), Faro, Padre Américo (Vale do Sousa) e Hospital Geral de Coimbra – vão dispensar medicamentos por unidose. O serviço deverá estar disponível “dentro de algumas semanas”, revelou hoje a ministra da Saúde, Ana Jorge.

O alargamento da medida a outras farmácias não é, para já, previsível por que a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) ainda não recebeu nenhum pedido de adesão ao serviço. A dispensa de remédios por quantidade individualizada só está autorizada para alguns antibióticos, anti-histamínicos, anti-inflamatórios, paracetamol e antifúngicos. 

Ana Jorge garantiu a concretização da unidose por ocasião do anúncio de uma nova ação de promoção dos medicamentos genéricos. Orçada em 263 mil euros, a campanha vai decorrer entre 15 de setembro e 8 de outubro para promover “o diálogo entre o doente e o médico” e “melhorar o acesso ao medicamento a quem dele necessita, em especial às pessoas com menos recursos económicos”, explica a ministra.

Poupar é objetivo

A poupança também faz parte do plano: “É uma campanha que pretende sensibilizar os cidadãos e os profissionais de saúde para os custos com os medicamentos comparticipados simultaneamente pelo SNS e pelo cidadão. Este é um encargo partilhado de que importa termos consciência. Por isso, a campanha apela à responsabilidade de todos na redução desta despesa”. Ainda assim, a governante fez questão de salientar que mais do que gastar menos, pretende-se “mudar o comportamento dos profissionais de saúde e dos utentes”.

E os dados mais recentes revelam que já há algumas alterações: “A quota de mercado dos genéricos atinge hoje os máximos de sempre, representando 19,2%”. Nos primeiros sete meses deste ano, o número de embalagens vendidas aumentou 7,6% em relação ao mesmo período de 2009.

Na apresentação da nova campanha, nas instalações do Infarmed, em Lisboa, Ana Jorge revelou ainda que as medidas postas em marcha para o setor do medicamento já estão a surtir efeito, nomeadamente ao nível da contenção da despesa. “De uma taxa de crescimento de 16,8% em maio, passámos para 7,7% em Junho e 2,9% em julho”, ou seja, próximo da meta de 2,8% estabelecida para 2010. Expresso Online

+ler notícia: http://aeiou.expresso.pt/farmacias-nos-hospitais-aderem-a-unidose=f603698

Anúncios

Farmácias já podem vender medicamentos em unidose

Apifarma alerta para os eventuais riscos em termos de segurança e para a contrafacção

Todas as farmácias já podem vender medicamentos em unidose, segundo a portaria que regula a dispensa ao público. A indústria farmacêutica diz que não foi ouvida e alerta, quer para os eventuais problemas de segurança, quer para os riscos de contrafacção.

Com a entrada em vigor da portaria que regula a dispensa de medicamentos em quantidade individualizada, as farmácias de todo o país podem, desde ontem, aderir a este sistema. A nova portaria revoga um diploma em vigor há um ano, que não teve efeitos práticos e alarga o universo das farmácias anteriormente abrangidas.

Assim sendo, as farmácias podem comunicar ao Infarmed a sua adesão ao sistema e passar a vender medicamentos nas quantidades indicadas para cada doente.

Num comunicado enviado ao JN, a Apifarma – Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica lamenta que, como parte interessada e enquanto representante de 140 empresas que operam em Portugal, “não tenha sido ouvida ou sequer lhe tenha sido solicitado o seu parecer” pelos ministérios da Saúde e Economia. Jornal Notícias

+Ler notícia: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Nacional/Interior.aspx?content_id=1608539