Euribor a três meses volta a subir e renova máximo do ano

As Euribor voltaram a subir, em todos os prazos, num movimento que revela a crescente tensão no mercado interbancário. A taxa a três meses está já no nível mais elevado deste ano, enquanto a Euribor a seis meses aproxima-se da taxa do BCE.

A taxa a seis meses, a mais utilizada como indexante nos contratos de crédito à habitação em Portugal, valorizou em 0,2 pontos base, na sessão de hoje. Subiu pela quarta sessão consecutiva, fixando-se nos 0,996%.

Não é, assim, a perspectiva de aumento de juros que está a impulsionar as Euribor, mas sim as crescentes tensões no mercado interbancário. Os bancos estão cada vez mais relutantes em emprestar dinheiro entre si, receando situações de incumprimento. Jornal Negócios Online

+Ler notícia: http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=428737

Anúncios

Habitação: Ciclo de juros baixos no crédito chega ao fim

Os juros do crédito à habitação já começaram a subir. Quem contrair um novo empréstimo em Junho e optar pela Euribor a três meses, vai negociar a sua prestação com juros 6,5% mais elevados que há um mês. Se a escolha for a Euribor a seis meses, a subida é de 2,8%.

São aumentos reduzidos – de acordo com a simulação feita pelo DN, a prestação mensal sobe três euros no caso da Euribor a três meses e dois euros se for a de seis meses -, mas que indiciam o fim provável do ciclo taxas de juro baixas.

Assim, o valor médio da Euribor a três meses de Maio foi de 0,686% (calculada quando falta ainda apurar o valor de hoje) e será esta média que será aplicada aos novos contratos de empréstimo durante o mês de Junho. Já a média do mesmo indexante para o prazo de seis meses fixou-se muito perto de 1% – 0,982%.Quem já tem um crédito à habitação e for rever a sua prestação em Junho não registará qualquer subida, mas verificará que a redução já não será tão acentuada. DN Online

+Ler notícia: http://dn.sapo.pt/bolsa/interior.aspx?content_id=1582306