Parlamento Europeu exige que França suspenda expulsões de ciganos

O Parlamento Europeu aprovou uma resolução exigindo às autoridades francesas que “suspendam imediatamente todas as expulsões de ciganos”.

 No texto – proposto pelas bancadas de esquerda e aprovado por 337 votos – os eurodeputados declaram a sua “viva apreensão” com o comportamento de Paris e “de outros países” em relação aos ciganos e lamentam a “reacção tardia e limitada” da Comissão às expulsões.

Sublinham ainda que “a retórica inflamada” que tem sido usada “confere credibilidade às declarações racistas e acções da extrema-direita”. A imprensa classificou a iniciativa do Parlamento Europeu um puxar de orelhas “seco” e “muito pouco habitual” a um dos países fundadores da União Europeia.

Desde Janeiro, França repatriou 8300 ciganos romenos e búlgaros, mais de mil só nos “voos especiais” das últimas semanas. Paris alega que o grosso dos repatriamentos são voluntários e conformes à lei comunitária.

O ministro francês da Imigração, Eric Besson, viajou para a Roménia, a fim de exigir ao país que adopte um “plano nacional de emergência” para integrar os ciganos. Público

+Ler notícia: http://www.publico.pt/Mundo/parlamento-europeu-exige-que-franca-suspenda-expulsoes-de-ciganos_1455129

Aumento da idade mínima da reforma provoca greve geral em França

Os franceses protestam esta terça-feira contra o aumento da idade mínima da reforma, de 60 para 62 anos. Esta é a principal medida da reforma do sistema de pensões apresentado por Nicolas Sarkozy, que é hoje discutida no Parlamento.

Os transportes devem ser o sector mais afectados pela paralisação, que deverá conduzir dois milhões de pessoas para as ruas, em protesto, segundo as estimativas.

A medida, se for aprovada, entrará em vigor em Julho de 2011. A idade mínima da reforma será então adiada quatro meses todos os anos, até atingir os 62 anos em 2018. O Executivo francês espera assim poupar 18,6 mil milhões de euros por ano ao Estado. A Bola

+Ler notícia: http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=221156

ONU pede que a França evite expulsões coletivas de ciganos

GENEBRA — O Comitê para a Eliminação da Discriminação Racial da ONU (Cerd) pediu a Paris nesta sexta-feira que evite as expulsões coletivas de ciganos e se declarou preocupado com os “discursos políticos discriminatórios” na França.

“Discursos políticos discriminatórios na França coincidem com um aumento recente de atos e manifestações racistas e xenófobos”, estimou o Cerd em uma série de recomendações realizadas depois de examinar a situação dos ciganos nesse país.

A França, por sua vez, declarou que respeita a legislação europeia e seus compromissos internacionais sobre os ciganos, segundo o ministério francês das Relações Exteriores, em resposta aos comentários da ONU.

“Na questão dos ciganos, a França respeita escrupulosamente a legislação europeia, assim como os compromissos internacionais em termos de direitos humanos”, afirmou Bernard Valero, porta-voz do ministério, em um comunicado.

No texto, a França reconhece que os ciganos romenos ou búlgaros se beneficiam, como cidadãos da União Europeia, da “liberdade de circulação e do direito de resistência no território dos Estados membros, mas que isso não proporciona um direito incondicional de residência (…) que está condicionada ao respeito da ordem pública”.

A França expulsou mais de mil ciganos desde o final de julhp. Bernard Valero enfatiza que estas expulsões foram acompanhadas por uma ajuda específica (300 euros por adulto mais 100 euros por criança). AFP

+Ler notícia: http://www.google.com/hostednews/afp/article/ALeqM5iXZQocfVjMc5dfteB-F8mIBA9-tw

Governo francês expulsa mais 13 ciganos de origem búlgara

A França expulsou o primeiro grupo de ciganos da Bulgária e mantém o plano de repatriar até final do mês perto de mil búlgaros e romenos, desta comunidade.

Depois dos romenos, este é o primeiro grupo de ciganos da Bulgária, forçado a abandonar território francês.

Perto de mil, a maioria são originários da Roménia, serão deportados até final de Agosto numa operação fortemente criticada pela comunidade internacional.

Em resposta ao apelo da Comissão Europeia, o governo de Sarkozy aceitou debater a questão com uma delegação ministerial romena. Mas a reunião serviu apenas para justificar as expulsões como explica o secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Pierre Lellouche: “A Europa realiza avultadas transferências para a Roménia. São mais de 4 mil milhões de euros por ano. Gostaria que parte dessa verba fosse efectivamente utilizada na integração dos romenos. Caso contrário isto não terá saída. Não será um problema exclusivo de França” conclui.

Imaginem por um segundo que seja, se os EUA, a primeira ou segunda maior democracia mundial, aceitassem sem objecções,  250 caravanas vindas do México se instalassem onde bem entendessem (…) Aquilo que é válido para os outros também se aplica a nós” esclarece o ministro do Interiro francês, Brice Hortefeux.

Às críticas internacionais, o executivo de Paris contrapõe com argumentos históricos de defesa dos Direitos Humanos, e aponta o exemplo de outros países que também nunca aceitariam a presença maciça de imigrantes em situação ilegal.

Os ciganos romenos e búlgaros, com ordem de expulsão, foram localizados em quinze acampamentos montados nos arredores de Paris e outras grandes cidades francesas. São repatriados por se encontrarem em situação ilegal, sem trabalho nem domicílio fixo, há mais de três meses, em território francês. SIC

+Ler notícia:  http://sic.sapo.pt/online/noticias/mundo/Governo+frances+expulsa+mais+13+ciganos+de+origem+bulgara.htm?wbc_purpose=baMODEld%25C2%252

//