CROWDFUNDING call-to-action DIANOVA | Faça o seu Donativo na plataforma INPAKT

Como promotora de inovação e transformação social, a Dianova assume na sua Responsabilidade Social o compromisso em contribuir para a melhoria das condições de vida das pessoas em situação de maior desfavorecimento social ou económico através dos seus programas de promoção de saúde, capacitação e formação, e ainda inclusão social.

Seja um daqueles cidadãos no mundo que tanto admiramos através do seu donativo na plataforma INPAKT que será utilizado para o desenvolvimento das campanhas de educação e promoção de saúde como a 6ª edição anual dos “Mocktails” ou a “REAGE” 2014, através dos links abaixo:

A Dianova agradece o vosso solidário donativo!

Imagem

“DEPENDÊNCIAS” TARDE TEMÁTICA PARA A EDUCAÇÃO & PROMOÇÃO DE SAÚDE, 27 de Março, CHCB Covilhã

Imagem

“DEPENDÊNCIAS” TARDE TEMÁTICA PARA A EDUCAÇÃO & PROMOÇÃO DE SAÚDE

Centro Hospitalar Cova da Beira – Covilhã
27 de Março, 14h30 – 18h00

Decorre a 27 de Março entre as 14h30 e as 18h00 no Auditório do Centro Hospitalar Cova da Beira (Quinta do Alvito, Covilhã), a Tarde Temática para a Educação e Promoção de Saúde “DEPENDÊNCIAS”, organizada pelo Centro Hospitalar Cova da Beira em parceria com a Dianova Portugal.

O objectivo desta tarde é debater as questões relacionadas com a prevenção e o tratamento das toxicodependências, que regista um aumento de 8.492 novos toxicodependentes em tratamento ambulatório e um aumento dos consumos de drogas entre jovens estudantes (16% cannabis, 8% Outras drogas, 7% Ansiolíticos, 6% Inalantes), de acordo com dados oficiais respectivamente do IDT | SICAD e do ESPAD.

Dividida em dois eventos – Conferência e Workshop – esta Tarde temática dedicada ao tema da intervenção a nível da Prevenção e do Tratamento das Dependências destina-se a Técnicos de Saúde, Alunos de Medicina, Enfermagem, Psicologia e Sociologia da UBI – Universidade da Beira Interior, e ainda a Profissionais bem como Estudantes de Comunicação e Marketing da UBI – Universidade da Beira Interior.

Link Poster http://www.slideshare.net/Dianova/poster-covilha-2014 

14h30 | Conferência
Moderador: Dr. Vítor Sainhas, Director do Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental do CHCB
Prelector: Dr. João Fatela, Coordenador do Centro de Respostas Integradas de Castelo Branco
Prelector: Dr.ª Cristina Lopes, Directora Técnica da Comunidade Terapêutica Quinta das Lapas da Dianova Portugal
Local: Auditório do CHCV

16h30 | Workshop “O Marketing na Prevenção das Toxicodependências”
Orador: Dr. Rui Martins, Director de Comunicação da Dianova Portugal
Local: Serviço de Ensino e Formação do CHCB

A participação é gratuita e a inscrição obrigatória junto do Gabinete de Eventos do CHCB para o email cme@chcbeira.min-saude.pt ou tel. 275 330 000 (ext. 10700)

Prémio Altran quer distinguir projectos tecnológicos para a inclusão social

Tem uma ideia inovadora para uma cidade? É um projecto de inclusão social que recorre à tecnologia e inovação? Será útil para a população em geral e aplicável a curto e médio prazo? Anuiu a cada uma das perguntas anteriores? Então, pode apresentar o que anda a magicar à Fundação Altran para a Inovação até dia 31 de Outubro. O prémio consiste em apoio tecnológico e científico durante seis meses para levar a cabo o seu projecto.

 

 

A primeira edição nacional do Prémio Altran versa sobre o tema “Tecnologia e Inovação ao serviço da Inclusão Social” e tem como objectivo o desenvolvimento e a aplicação de uma ideia de combate à exclusão, através de ferramentas que proporcionem oportunidades de acesso a bens e serviços a todo e qualquer cidadão.

Ao prémio poderão candidatar-se projectos nas áreas da comunicação, educação, mobilidade, saúde, higiene, formação e do emprego, alojamento e ambiente. Na área da educação, por exemplo, as ferramentas a desenvolver poderão centrar-se no combate ao insucesso escolar ou no acesso geral ao conhecimento. Por sua vez, na área da mobilidade, são valorizados projectos que garantam a autonomia de pessoas com limitações físicas e o acesso generalizado a infra-estruturas e transportes.

O concurso é destinado a pessoas de qualquer nacionalidade, ou a equipas provindas de escolas, universidades, empresas privadas, associações e centros de pesquisa públicos e privados portugueses ou cujo historial revele uma estreita colaboração com Portugal.

Entre os critérios de selecção, destacam-se a demonstração da viabilidade técnica e financeira do projecto, a prova da inovação e da utilidade do projecto para o público em geral, bem como da sua aplicação a curto e a médio prazo. Os candidatos devem ainda estabelecer um calendário provisório do projecto para os próximos três anos, e informar, no formulário de candidatura, qual o uso que pretendem fazer do apoio tecnológico dispensado pela Fundação Altran.

As candidaturas devem ser submetidas electronicamente até à meia-noite de 31 de Outubro, sendo que o seu envio não dispensa a apresentação oral dos projectos entre os meses de Novembro e Dezembro. No caso de dúvidas, durante a preparação do projecto e o processo de formalização da candidatura, os candidatos poderão recorrer ao apoio de um consultor da Altran, em regime de coaching. Uma das funções deste consultor é ajudar os candidatos a preparar a apresentação oral, servindo ainda de mediador entre o candidato e a fundação.

O júri é composto por especialistas independentes com competências no tema escolhido para a edição deste ano, provindos das áreas da investigação, política, ensino, indústria, sendo que nenhum colaborador da Altran poderá ser jurado.

A Fundação Altran para A Inovação, criada em 1996 pelo Altran Group, tem como objectivos centrais “apoiar e promover a inovação tecnológica para o benefício humano”. O apoio no desenvolvimento dos projectos inclui as áreas de especialidade da Altran, como o desenvolvimento tecnológico, o design, a propriedade intelectual, a gestão de projectos, a optimização de custos, a pesquisa de parceiros, o marketing e a comunicação.

Este é a primeira vez que o concurso é lançado a  nível nacional. Os vencedores de cada país a concurso terão oportunidade de participar na final internacional, a ser realizada em Paris.

Os países participantes são, além de Portugal, a Bélgica, França, Alemanha, Itália, Espanha, Suíça e o Reino Unido.

Centro de Formação Dianova e Universidade Lusófona celebram Protocolo de Cooperação na área da Formação e Empregabilidade

O Centro de Formação Dianova (http://formacao.dianova.pt uma das Unidades que alia propósito social e sustentabilidade da Dianova Portugal) e a Universidade Lusófona, no seguimento do Protocolo de Cooperação assinado entre ambas as Organizações, promovem o projecto «Competências Transversais: + Formação + Competências» (ver Cartaz http://www.slideshare.net/Dianova/cartaz-competencias-transversais-dianova-lusofona )

Cientes de que o aumento de competências transversais no seio de alunos do Ensino Superior potencia mais e melhores oportunidades de emprego, este projecto visa principalmente o desenvolvimento das Soft Skills (também designadas competências sociais e/ou relacionais) omitidas nos Currículos das Licenciaturas e Mestrados que privilegiam as áreas técnicas. No entanto, consideraram-se também fundamentais as competências intermédias em Gestão de Projectos e Tecnologias de Informação e Comunicação dado serem instrumentos indispensáveis e requisito preferencial no acto de recrutamento nas Empresas/ Organizações.

Os Planos de Formação dos Cursos foram concebidos e avaliados pelo Centro de Formação da Dianova, obedecendo aos critérios de rigor e qualidade exigidos pela Direcção Geral do Emprego e das Relações do Trabalho e pelo próprio Sistema de Gestão da Formação desta Unidade, consistindo esta oferta formativa em Acções de Formação Certificada.

Os(as) Alunos(as) / Formandos(as) poderão encontrar em Cursos como «Gestão Eficaz de Reuniões», «Gestão da Motivação e Estilos de Liderança», «Coaching e Mentoring para Gestores», «Técnicas de Comunicação em Público», «Comunicação Interna: como ouvir, informar e envolver o/a Colaborador/a», entre outros, as ferramentas que necessitam para marcar a diferença no mercado de trabalho tanto no Sector Empresarial como no Terceiro Sector.

As Empresas/ Organizações sairão beneficiadas com a retenção de talentos que procuram na aquisição de competências transversais, a polivalência necessária a um desempenho exímio da sua actividade profissional.

Apresentar soluções criativas para problemas identificados; pro-actividade na construção da identidade corporativa; actuar com sensibilidade e rigor na Gestão de Pessoas; planear e executar projectos de trabalho eliminando desperdiçadores de tempo e de outros recursos, são actos que os beneficiários destas acções replicarão no mercado laboral.

Para além do reforço da empregabilidade e da valorização pessoal dos estudantes do Ensino Superior, este projecto concretiza uma aliança sustentável entre o sector da Educação e o sector da Formação Profissional, associando a qualidade dos especialistas do primeiro, ao know-how e à percepção das necessidades formativas dos diferentes sectores económicos que o segundo detém.

As acções de formação a desenvolver encontram-se também abertas para público externo à Universidade Lusófona, sendo que se deverão respeitar os seguintes requisitos:
– 12º ano de escolaridade (ou experiência profissional de relevo);
– Mínimo 18 anos de idade;
– Activos empregados ou à procura de emprego.

Dianova e Universidade Lusófona: uma Parceria de Futuro, com Futuro!

Mais info em http://competencias.ulusofona.pt

Revista EXIT n.25 Educação, Valores e Cidadania

View more documents from Associação Dianova Portugal.

Contribua solidariamente para levar água e luz ao colégio Las Marias

A Rede Dianova encontra-se a levar a cabo uma campanha de solidariedade internacional de apoio ao colégio Las Marias associado da Rede de Escolas UNESCO na Nicarágua,  materializada num concerto solidário de Música Clássica a cargo da Orquestra Santa Cecilia, que terá lugar dia 29 de Outubro (6ªfeira) pelas 22h00 no Auditorio Nacional em Madrid, Espanha.

Veja o Programa do Concerto: http://www.llevareluzyagua.org/?page_id=44

Para mais informações, detalhes e formas de contribuir visite o site da campanha www.llevareluzyagua.org .

 Não tem oportunidade de assistir e gostaria de contribuir para levar água e luz às 400 crianças do Las Marías? Colabore com a fila 0 através do link:

http://fila0.llevareluzyagua.org/epages/llevareluzyagua.sf/?ObjectPath=/Shops/Llevareluzyagua/Products/Fila0/SubProducts/Fila0-0001

 A fila 0 foi criada para poder levar o seu contributo ao projecto de reabilitação dos sitemas de água e luz do Colégio Las Marías da Dianova na Nicarágua, associada da Rede de Escolas UNESCO, permitindo que mais de 400 meninos e meninas beneficiem anualmente dos programas educativos para continuarem os seus estudos e desenvolver o seu potencial humano.

 A Rede Dianova agradece a sua solidária colaboração!

Levaremos água e luz!

Ano letivo arranca hoje

Mais de um milhão e meio de alunos começam hoje a chegar às escolas, quando ainda se discute em vários pontos do país se os estabelecimentos de ensino são para manter ou fechar.

Mais de um milhão e meio de alunos, de acordo com estimativas do ano passado, começam hoje a chegar às escolas, quando ainda se discute em vários pontos do país se a escola do 1.º Ciclo é para manter ou fechar.  
 
A polémica em torno do reordenamento escolar e a transferência dos alunos para novos centros escolares chegou à abertura do ano letivo sem que tenha sido alcançado um acordo universal com as autarquias abrangidas.  
 
Na terça feira, enquanto a ministra reafirmava que o plano anunciado e publicado é para manter, admitindo haver ainda “um ou outro caso” por resolver, a Associação Nacional de Municípios Portugueses reunia o conselho diretivo, que decidiu pedir mais uma reunião ao ministério por ter indicação de que algumas escolas “foram encerradas sem o consentimento dos municípios”, contrariamente ao que foi protocolado.  

Contenção orçamental 

 

Além de uma rede em transformação a pensar na adequação à escolaridade obrigatória de 12 anos, o ano letivo começa com esperanças renovadas de pais e alunos, mas sob o signo da contenção orçamental para os responsáveis do Ministério da Educação, que terão de gerir recursos sob o olhar atento de sindicatos e famílias.  
 
Em julho, a ministra da Educação, Isabel Alçada, e o ministro das Finanças, Teixeira dos Santos, assinaram um despacho de criação de um grupo de trabalho para acompanhar a implementação das medidas do setor da Educação previstas no Orçamento do Estado, bem como propor outras medidas que promovam “a eficiência e eficácia” dos serviços prestados no âmbito dos ensinos básico e secundário.
 
A abertura do ano letivo decorre até dia 13 nas várias escolas do ensino básico e secundário.  Expresso

+Ler notícia: http://aeiou.expresso.pt/ano-letivo-arranca-hoje=f602663

Investimento de Portugal na educação é inferior ao de há 15 anos

Relatório da OCDE coloca Portugal em antepenúltimo lugar no que toca à percentagem da população que completou o ensino secundário e revela uma diminuição no investimento em educação.

Na véspera do novo ano escolar, a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) apresenta um retrato preocupante da educação em Portugal, com um relatório que indica que a percentagem de investimento em educação diminuiu em relação ao que se registava há 15 anos.

Do total da despesa pública portuguesa, 11,6% vai para a educação, um valor abaixo da média da OCDE (13%) e, curiosamente, mais baixo do que há 15 anos (11,7%).

No que toca à percentagem da população que completou, em 2008, o ensino secundário, Portugal está muito abaixo da média dos países da organização – por exemplo, na Coreia é 100%, enquanto em Portugal não chega aos 50%, isto na faixa etária dos 25 aos 34 anos.

Na última década, houve mudanças no acesso ao ensino superior e Portugal está no grupo dos países que teve um crescimento acima dos 5%. Mesmo assim, Portugal é um dos três países da OCDE que ultrapassam os 10% de matrículas no ensino privado (a par do Brasil e do México).

Quanto à despesa com os salários dos professores, o relatório aponta que Portugal é o país da OCDE que gasta mais dinheiro do orçamento das escolas: mais de 92% do dinheiro vai para vencimentos; apenas cerca de 8% para outras despesas.

O documento indica ainda que ter um curso superior em tempo de crise pode não ajudar a encontrar emprego em Portugal. O “canudo” pode, de resto, tornar-se uma desvantagem em 10% dos casos. Rádio Renascença

+Ler notícia: http://www.rr.pt/informacao_detalhe.aspx?fid=92&did=119111

+Ler Relatório OECD: http://www.oecd.org/dataoecd/1/28/43654482.pdf

Educação representa 31% da subida dos gastos do Estado

A despesa do Estado não pára de crescer, apesar de o ano ser de consolidação orçamental. E cerca de um terço deste crescimento – que atingiu os 3,8% em Julho – vem da educação, em parte devido à melhoria das remunerações de professores, no seguimento do processo de avaliação.
A educação está a ser um dos sectores mais difíceis de domar no momento de reduzir os gastos do Estado. Segundo o boletim de execução orçamental relativo ao mês de Julho, que dava conta de uma subida da despesa pública relativa ao período homólogo, praticamente um terço deste crescimento fica a dever-se, directa ou indirectamente, às despesas ligadas ao ensino.

As contas da Direcção-Geral do Orçamento (DGO), que ganham importância por se referirem já ao sétimo mês do ano, mostram que, entre Janeiro e Julho de 2010, o subsector Estado gastou 28,7 mil milhões de euros, mais 1,1 mil milhões do que em 2009. Deste aumento, 31% veio de gastos ligados à educação – directamente, através da tutela correspondente, ou através de Ministérios com funções no mesmo sector.  Jornal Negócios

+Ler notícia: http://www.jornaldenegocios.pt/home.php?template=SHOWNEWS_V2&id=440379

Autarquias rejeitam fechar escolas por falta de financiamento

 

Governo só pagará 300 euros por criança ao ano em custos de transporte criança. Municípios exigem mais.

As autarquias afectadas pelo encerramento das 701 escolas – cuja lista foi divulgada – só receberão do Estado uma comparticipação de 300 euros por criança, por ano lectivo, para ajudar a pagar o transporte para os novos centros escolares.

Ao Diário Económico, o Ministério da Educação garantiu que “só comparticipará com 300 euros por criança ao ano”. A Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP) não reconhece este valor e há autarquias que rejeitam fechar escolas por falta de financiamento. “Não negociámos valores, o que ficou estabelecido no protocolo era que o Ministério assumiria os custos dos transportes, independentemente do valor”, disse ao Diário Económico António José Ganhão, responsável pelo pelouro da Educação. O protocolo assinado entre os municípios e a tutela prevê “o financiamento por parte do Ministério da Educação dos custos decorrentes dos transportes dos alunos que venham a ser deslocados por via do encerramento das escolas”.

O porta-voz da ANMP admite que o Governo tenha acertado este valor com algumas câmaras municipais, mas frisa que o acordo inicial previa que o Governo teria de garantir os custos dos transportes e das refeições dos alunos. A ministra da Educação admitiu ontem que “um caso ou outro” está ainda por resolver a ser “equacionado”. Diário Económico

+Ler notícia: http://economico.sapo.pt/noticias/autarquias-rejeitam-fechar-escolas-por-falta-de-financiamento_97308.html