Viciados na Net correm maior risco de depressão

Os jovens que passam demasiado tempo na Internet têm perto de 50 por cento mais hipóteses de desenvolver uma depressão do que os utilizadores “moderados”. Os dados integram um estudo que envolveu aproximadamente 1.000 adolescentes, entre os 13 e os 18 anos de idade, em Guangzhou, no sul da China.

A análise defende que os jovens que passam de cinco a 10 horas por dia a navegar revelam-se agitados quando não estão em frente ao computador e perdem o interesse pelas interacções sociais.

“Alguns passam mais de dez horas por dia online e mostram-se utilizadores realmente problemáticos, apresentando sinais e sintomas de comportamento adicto (…) ao navegarem e jogarem”, refere Lawrence Lam, co-autor do estudo, citado pela Reuters.

Os investigadores garantem que nenhum dos 1.041 adolescentes que integraram a experiência apresentavam, de início, sinais de depressão. Nove meses depois, 84 mostravam sintomas, enquanto os que passavam tempo a mais online tinham perto de 50 por cento mais probabilidade de ficarem deprimidos, comparativamente aos internautas moderados.

A falta de sono e o stresse causado pelos jogos online podem explicar a tendência depressiva. “Quem passa tempo demais na Internet perde o sono, e é um facto muito bem estabelecido que quanto menos se dorme, maiores as hipóteses de depressão”, refere Lam. TEK Sapo

+Ler notícia: http://tek.sapo.pt/noticias/internet/viciados_na_net_correm_maior_risco_de_depress_1082028.html

Anúncios

O café ajuda a prevenir o cancro

É uma boa notícia para os amantes de café: quem o bebe regularmente fica com menos 39% de hipóteses de desenvolver cancro da boca e da faringe. A conclusão é de um estudo americano, publicado na revista “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”. 

A afirmação apoia-se em nove estudos já realizados sobre o tema, mas segundo Mia Hashibe, professora do departamento de família e medicina preventiva da Universidade de Utah e líder do estudo, a amostra ser significativa é bastante importante: “O que torna os nossos resultados tão singulares é o facto de utilizarmos uma amostra ampla e, já que combinamos os dados de diversos estudos, ganhamos mais poder estatístico para relacionar o café e o cancro”.
Outros estudos sugerem que o café pode ajudar a combater o aparecimento de tumores, como da próstata, do cérebro e do fígado. Além disso, concluiu-se que ajuda no tratamento da depressão e protege contra a perda de memória.

Porém, é necessário bebê-lo com equilíbrio, dizem os investigadores: se bebido em demasiada, o café também tem riscos. Por exemplo, segundo uma análise realizada em 2007, mulheres grávidas que sejam grandes consumidoras de café, têm mais hipótese de que os bebés nasçam com menos peso. Além disso, as mulheres que bebem quatro ou mais cafés por dia, têm problemas de  fertilidade. Jornal i

+Ler notícia: http://www.ionline.pt/conteudo/65621-o-cafe-ajuda-prevenir-o-cancro