REAGE | Junho marcado pelo lançamento do tema “Ansiolíticos”

COMUNICAÇÃO DE CAUSAS | PROMOÇÃO DE SAÚDE | Lançada pela Dianova Portugal em Janeiro último a partir da cidade de Braga, Junho marca o último mês da campanha REAGE com o tema “Ansiolíticos” incidindo particularmente nas Mulheres, a segunda maior toxicodependência lícita (a seguir ao álcool), tendo registado um aumento de 171% no consumo dos anti-ansiolíticos e 240% nos anti-depressores (INFARMED, 2014).

A REAGE culminará a 26 de Junho, Dia Mundial de Luta Contra a Droga e Tráfico Ilícito de Drogas, com uma acção de RP materializada num direct mailing com a colecção dos 4 temas dos Postais dirigido a 1.000 Stakeholders de âmbito nacional!

Imagem

AUMENTO CONSUMO PSICOFÁRMACOS ENTRE 240% E 171% NA ÚLTIMA DÉCADA

AUMENTO CONSUMO PSICOFÁRMACOS | o relatório “Saúde Mental 2013” do programa nacional para a Saúde Mental apresenta uma elevada prevalência de doenças mentais, que se encontram entre as principais responsáveis pela incapacidade para a actividade produtiva e psicossocial, com destaque para a depressão major.

Estes valores elevados de consumo indiciam um problema de saúde pública que deve ser alvo de intervenções direccionadas.

Os psicofármacos, como antipsicóticos e antidepressores, que actuam no Sistema Nervoso Central são responsáveis pelo aumento da utilização e despesa do Serviço Nacional da Saúde na última década.

Na última década (2000-2012) registou-se um consumo dos psicofármacos em todos os subgrupos mas com maior evidência nos antidepressores com 240% e antipsicóticos com 171% de aumento.

Portugal apresenta um nível superior de consumo dos antidepressores (88DHD) aos dos países europeus como Itália (37 DHD) e Noruega (57 DHD).

Igual tendência relativamente ao consumo de ansiolíticos, sedativos e hipnóticos, com Portugal (96 DHD) à frente de Itália (53 DHD), Noruega (62 DHD) ou Dinamarca (31 DHD).

In “Psicofármacos: Evolução do consumo em Portugal Continental (2000-2012), Cláudia Furtado, INFARMED

LINK http://www.infarmed.pt/portal/page/portal/INFARMED/MONITORIZACAO_DO_MERCADO/OBSERVATORIO/ESTUDOS_REALIZADOS