Seminário Internacional “Políticas Sociais e Envelhecimento”

28 de Outubro de 2011
Instituto Superior de Serviço Social do Porto

Programa

17h00-17h45 – “Ageing population in Poland: challenges for social policy and social work research, education and practice” – Jery Krzyszkowski (Universidade de Lodz, Polónia)

17h45-18h30 – “Between productive and frail ageing: social gerontology keynotes in Germany” – Joachim Doebler (Universidade de Ostfalia, Alemanha)

18h30-19h15 – “O envelhecimento demográfico em Portugal inviabiliza o sistema de pensões fundado na solidariedade?” – Adriano Zilhão, José Alberto Reis, Marielle Gros, Sidalina Almeida (Instituto Superior de Serviço Social do Porto, Portugal)

19h15-20h00 – Debate

Moderador – Adriano Zilhão (Instituto Superior de Serviço Social do Porto)

Língua das comunicações e debate – português e inglês (sem tradução)

________________________________________

Organização: Comissão de Coordenação do Mestrado em Gerontologia Social do ISSSP

Inscrições

Ficha de Inscrição

  • 5€
  • Inscrição gratuita para alunos do ISSSP (com inscrição prévia)

Pagamento por numerário ou cheque à ordem de Cooperativa de Ensino Superior de Serviço Social, CRL

Inscrições até 25 de Outubro de 2011, na Biblioteca do ISSSP ou por e-mail para: biblioteca@isssp.pt

Inscrições e Informações:
Glória Morais
Centro de Investigação em Ciências do Serviço Social – CICSS
Av. Dr. Manuel Teixeira Ruela, 370 – Senhora da Hora (Estação de metro “Sete Bicas”)
Telef.: +351 229577210 – Fax: +351 229577219 – E-mail: biblioteca@isssp.pt – website: http://www.isssp.pt

Anúncios

Marca de bebidas apela à consciência dos mais novos

Numa acção inédita para uma marca de bebidas alcoólicas, o Whisky Granfs vai realizar uma campanha de consciencialização junto da população jovem, incentivando-os a uma condução responsável, apelando para que enquanto conduzam não bebam. Esta iniciativa, em parceria com a Emparque, está a decorrer no parque de estacionamento da Praça Luís de Camões, no Bairro Alto, desde o dia 15, das 23.00 horas às 3.00 horas da manhã, e termina hoje. Na altura de levantarem os carros, os condutores terão oportunidade de fazer o teste do balão e os que registem 0,0g de álcool no sangue, serão premiados com três horas de parque grátis.

“Esta campanha surge no âmbito do compromisso de Grant’s em promover consumo responsável”, revela António Carvalhão, gestor da marca, que acrescenta: “Uma das principais áreas de intervenção de Grant’s a nível de responsabilidade social é a condução. Nesse sentido, a marca tem promovido nos últimos anos algumas acções de sensibilização dos riscos de associar o consumo de álcool à condução”. Deste modo, a Grant’s pretende “assumir-se como uma marca consciente e apelar à mensagem de uma condução segura, assim como à necessidade de se fazer uma escolha entre o conduzir e o beber”, reforça o responsável.

Em acções passadas, a marca de bebidas apostou em fazer passar uma mensagem assente na recomendação de que aqueles que bebem devem abster-se de conduzir. “Este ano optámos por uma mensagem diferente e apostámos na recomendação de que aqueles que irão conduzir devem abster-se completamente de consumir bebidas alcoólicas. Continuar a ler

A mania dos bonecos na publicidade de Macau

Serão poucos ou nenhuns os residentes de Macau que nunca repararam nos cartazes e brochuras animadas do Instituto para os Assuntos Cívicos e Municipais (IACM). Nas personagens que apelam para que os cidadãos de Macau “não arremessem objectos para rua”, “jamais descurem a higiene domiciliária” ou “não cuspam no chão” que até têm nomes e pertencem a uma “família”.
O “Harmonioso”, o “Gorducho”, a “Sra. Bela”, o “Velhote” e o “Cãozinho” são alguns dos protagonistas coloridos da “Família de Alegria” criada pelo Gabinete do Cidadão para divulgar a consciência cívica, protecção ambiental, protecção dos animais e segurança alimentar no formato papel. Mas até que ponto é que a mensagem passa apresentada naquele formato? Porquê a opção estilística e para quem é dirigida?
O Hoje Macau falou sobre o assunto com os responsáveis pela máquina publicitária do gabinete governamental e dois designers locais.
“Não permita que o seu animal de estimação faça as suas necessidades em qualquer sítio” é uma das dezenas de mensagens espalhadas pela cidade pela Rede sobre Informações da Formação Cívica do IACM. No cartaz, o cartoon do pequeno “Harmonioso” e o seu “Cãozinho” sorridente pela trela. “Usamos personagens de uma família nos nossos anúncios porque funciona como elemento de proximidade. Construímos uma história para as nossas campanhas de educação cívica que começa por ser primeiro dirigida ao indivíduo, depois à família, à comunidade e enfim a toda a cidade”, explica Patsy Ko, chefe do Gabinete do Cidadão do IACM. “Com o aumento da chegada de trabalhadores não residentes e turistas, a higiene da cidade está pior do que antes, e é o dever do IACM fazer este trabalho comunitário para minorar o problema”, justifica.
O gabinete tem uma Divisão de Formação e Informação Cívica constituída por 18 pessoas que se responsabilizam pelas campanhas, que vão desde os seminários, workshops e projecção de filmes à publicidade através de diversos meios de comunicação como cartazes, banners, ‘spots’ televisivos ou transmitidos na rádio, publicidade nos jornais e internet. A maioria recorre ao cartoon.

Ler a notícia completa no Hoje Macau

PEDRO COUCEIRO DÁ CARA PELA “ACÇÃO EUROPEIA SOBRE AS DROGAS”

A Acção Europeia sobre as Drogas, campanha organizada pela Comissão Europeia, que visa mobilizar a sociedade civil para as questões da droga, juntou no centro Jean Monnet, em Lisboa, diversas entidades portuguesas para a assinatura de um compromisso nesse sentido.

A iniciativa, realizada pela primeira vez em Portugal, contou com a presença do Pedro Couceiro que realçou a importância do desporto na criação de hábitos de vida saudáveis, principalmente na infância e adolescência, altura em que a personalidade se define. “Durante o processo de crescimento as crianças são, muitas vezes, confrontadas com situações que não conseguem controlar, o que gera frustrações e pode em, última instância, levar a comportamentos desviantes. É aqui que o desporto dá um forte contributo, ao reforçar a auto-estima e motivação, ensina a lidar com situações imprevistas e afasta os jovens das drogas”, afirma o Piloto de Automóveis de Alta Competição e Embaixador da UNICEF.

João Goulão, Presidente do Instituto da Droga e Toxicodependência, reforça esta ideia ao afirmar que “para contrariar o consumo de droga é necessária uma mudança de mentalidades e comportamentos” reforçando que “o fenómeno da droga em Portugal está cada vez mais associado ao lazer e à diversão e não somente à exclusão social e marginalidade”.

À Acção Europeia sobre as Drogas já aderiram mais de 1315 organizações e cidadãos individuais em toda a Europa. Em Portugal, juntaram-se mais 12 que se comprometem a levar a cabo acções de sensibilização sobre as drogas, junto das comunidades. Dos novos signatários deste compromisso fazem parte a GNR, o Instituto da Droga e Toxicodependência, a Associação Pressley Ridge, Associação Portuguesa das Empresas do Sector Privado de Emprego (APESPE), GAAF SOS Criança, Associação Portugal Livre de Drogas, entre outros.

Mais informações em: http://www.euactiondrugs-lisbon.net

Social Media Beachcombing: A sobrevivência do Twitter.

Ficou famosa a visão de John D. Rockefeller da chegada do colapso em Wall Street, retirando todo o seu dinheiro quando o engraxador lhe começou a dar dicas sobre bolsa e acções. Então, que efeitos se trazem para o Next New Thing dos meios de comunicação social, quando os vossos padrastos vos começam a falar sobre o Twitter?

Por um lado, qualquer trendspotter digital que se preze teve de começar a pesquisar em outros lugares, pelo menos um ano atrás. Mas o ponto mais importante para as marcas é a rapidez com que essas inovações de mídias sociais contemplam a mudança, a partir das margens para o centro da questão. Como autor e professor Clay Shirky observa, é apenas quando a tecnologia se torna aborrecida – ou seja, de rotina para a maioria, não apenas para a Geekosfera – que se torna interessante.

O Twitter já se está a tornar um dos primeiros lugares em que as pessoas procuram notícias de última hora, muitas vezes por testemunhas, desde acidentes de avião a terremotos e, infelizmente, tiroteios na escola. É também o lugar que empresas procuram ao tentar monitorar não apenas a execução maioritária da opinião dos clientes, mas também em tempo real as informações sobre os seus próprios últimos destaques.

Ler o artigo completo em businessweek.com

Cidade Algarvia pioneira na rede europeia contra as drogas

Vila Real de Santo António tornou-se a primeira cidade ibérica a fazer parte da rede de cidades europeias contra as drogas. Luís Gomes, presidente da autarquia, disse querer apostar nas vertentes de prevenção, combate e investigação para tentar impedir que a toxicodependência se “alastre” no seu concelho.

Numa cidade, em que a questão da toxicodependência constitui um problema bastante real, a autarquia reforça a sua posição no combate ao flagelo, passando pelo financiamento em reabilitação. “Queremos implementar um conjunto de medidas concretas que passam por alertar as famílias, realizar programas preventivos nas escolas e desenvolver actividades anti-droga”, sustém o edil.

O autarca que acumula funções na vice-presidência da Associação para um Portugal livre de Drogas, augura boas práticas e relações na persecução de algumas políticas de drogas pela inclusão nesta rede europeia.
Na assinatura da declaração de adesão à organização que decorre hoje à tarde, estarão presentes os presidentes da autarquia da Associação para um Portugal Livre de Drogas e da organização Cidades Europeias contra as Drogas. A rede, criada em 1994, conta com um total de 260 municípios signatários num total de 29 países.

Cinco conselhos para que a sua instituição sobreviva numa rede social

Texto traduzido correspondente à notícia do Jornal La Expansión:

Retwittear, recomendar ou fazer-se fã. Estas são as novas armas para centenas de instituições que começam a descobrir o poder das redes sociais como nova fórmula para a sua promoção e fidelização de clientes. O principal problema que enfrentam não é propriamente, chegar ao complexo mundo das redes sociais, mas sim fazer bom uso delas e ser eficaz.
Mas afinal, que motivação advém para uma instituição saber usar redes como o Facebook ou Twitter? Segundo um estudo elaborado por Hotwire e Vanson Bourne a consumidores de Reino Unido, França, Espanha, Alemanha e Itália, a influência que as redes sociais possuem nas decisões de compra dos consumidores é cada vez maior sobretudo pela interactividade que estas redes nos brindam. “Receber recomendações converteu-se num hábito cada vez valorizado pelos consumidores que nesta lógica de actuação são mais propensos a comprar”, assegura Amy García, Managing Director da Hotwire Espanha.
Apesar das vantagens evidentes que podem surgir das redes sociais, o medo da maioria das companhias em se arriscarem nesta “selva urbana”, onde qualquer um pode opinar, criticar ou recomendar, é um dos principais travões para que grandes e pequenas empresas apostem no seu envolvimento. Em Expansión.com, propomos cinco pontos imprescindíveis para obter um uso eficiente das redes sociais.

1. Antes de abrir um perfil requer-se planificação. Qualquer empresa que deseje abrir uma conta numa rede social deve ter em conta que não se trata de um mero perfil corporativo, assim que é necessário elaborar uma etsratégia previa, para determinar qual é o público-alvo e a via preferencial na sua aproximação. Um dos maiores erros cometidos pela maioria das entidades é a falta de planificação. “Um esforço inicial para conseguir fãs ou seguidores nas principais redes sociais é insuficiente sem um esforço continuado para manter a atenção dos consumidores”, reforça Amy García.
2. Assegurar os recursos necessários para a sua manutenção. Uma vez criado um perfil e com alguns seguidores e fãs no grupo de amigos, é necessário contar com o feedback ou resposta dos usuários., “A interactividade é um dos principais objectivos para manter viva a rede social já que suporta um valor adicional aos produtos da empresa com opiniões, críticas ou conselhos dos internautas”, comenta García. Conseguir esta dinâmica dependerá em boa medida da variedade de conteúdos e sua adequação a cada rede social, tarefa que pode ser desenvolvida por um Community Manager. Esse será o responsável pela comunidade e a pessoa encarregada de criar, gerir e dinamizar uma comunidade de usuários na Internet.
3. Não imponha as suas tácticas com força! De pouco serve enviar mensagens corporativas ou uma vez identificado o espaço online donde se congregam todos os consumidores, bombardeá-los com mensagens promocionais. Segundo a empresa de comunicação Hotwire, a maioria das companhias cometem os mesmos erros na hora de abrir perfis de redes sociais. “Muitas instituições abrem contas no Facebook ou Twitter para emitir informação corporativa e isto não interessa ao consumidor típico destas páginas”. Por isso, tal como explica García, “é importante diferenciar a rede social onde se introduz a empresa para saber seleccionar o tipo de informação que requerem os usuários. Não é a mesma coisa dirigir-se a um contacto no Linkedin (rede profissional) como no Facebook.
4. Atenção ao poder do Facebook e Twitter. O Facebook é a rede social que melhor funciona quanto a recomendações para os seus usuários e que segundo o estudo da Hotwire, mais influencia os consumidores. Mais concretamente, 70% dos inquiridos seguiu as recomendações recebidas pelo Facebook quanto a possíveis compras, ao largo que só 10% fizeram o mesmo no Twitter e 6% no Youtube. Segundo Hotwire, “a clara maioria lograda pelo Facebook é condicionada pela principal característica do sítio: o facto de poder eleger os amigos e personalizar a quantidade de acesso que têm ao teu próprio perfil, promove a credibilidade das recomendações que te chegam, em oposição ao que se sucede em sítios como Twitter e Youtube, onde o acesso se concede a toda a gente. Pela sua parte, o Twitter também pode ser uma boa arma empresarial. A rede de microblogging permite dirigir-se àqueles interessados numa empresa mediante pesquisas com palavras-chave e pode empregar-se para melhorar os mecanismos de atenção ao cliente, permitindo a promoção e resposta a problemas em tempo real. Já existem várias companhias que criaram um serviço ao cliente em Twitter, como no caso da companhia alemã de telecomunicações Telekom ou a Movistar em Espanha.
5. Demonstrar que existem pessoas por detrás da marca. É a estratégia que melhor funciona entre os consumidores. Um trato personalizado, directo e com uma resposta com a maior brevidade possível é uma das principais qualidade que deverão caracterizar a instituição. É fundamental: ser honesto, transparente, responder rapidamente, confrontar as crises de reputação de maneira coerente , identificar os clientes mais activos com a marca e premiá-los, incentivar o feedback, não usar as redes sociais para comunicar aquilo que não comunicarias frente a frente e obviamente, não fazer propaganda constante do negócio e participar activamente na conversação. Obviamente, para levar a cabo todas estas funções será quase imprescindível dedicar uma parte dos recursos da sua empresa para a boa gestão do seu perfil nas redes sociais.