Carta Europeia de Ética Médica

A Carta Europeia de Ética Médica foi adoptada em Kos, Grécia, no dia 10 de Junho de 2011 numa reunião do Conselho Europeu das Ordens dos Médicos (CEOM). A agenda deste encontro incluía temas como a apresentação do Observatório Europeu de Demografia Médica e a criação de um novo grupo de trabalho sobre recomendações deontológicas. A cerimónia em que foi apresentada a nova Carta Europeia de Ética Médica incluiu a leitura do Juramento de Hipócrates pelo presidente do CEOM, Emmanuel Kalokerinos e a leitura de cada um dos artigos da Carta pelos representantes das diferentes organizações.
No preâmbulo da Carta pode ler-se: «a expansão e o desenvolvimento da Comunidade Europeia fornece a oportunidade dos médicos estenderem a sua influência, não apenas numa base técnica conjunta, mas também relativamente aos princípios de comportamento que devem ser respeitados na prática profissional. A Carta Europeia de Ética Médica incluiu os princípios nos quais se deve basear a prática profissional dos médicos independentemente do tipo de prática que tenham. A Carta deverá inspirar os princípios deontológicos assumidos pelas estruturas profissionais e pelas entidades de tutela que estejam habilitadas a adoptar tais regras. Esta carta de princípios funda a sua legitimidade no trabalho desenvolvido desde há muitos anos pelo Conselho Europeu das Ordens dos Médicos. A comunidade médica europeia concorda em respeitar a Carta Europeia de Ética Médica».

Segue o link com os 16 princípios constantes deste documento.