Ciclos de Formação Dianova | Fevereiro e Março

Imagem

 

Três ciclos de Formação – destinados a técnicos e decisores de Organizações do Terceiro Sector,  Agentes de Apoio a Crianças e Jovens e a Agentes de Apoio a Séniores. São estas as principais novidades da agenda do Centro de Formação para o final de Fevereiro e início de Março, além dos cursos co-financiados divulgados na semana passada. Onde? Em Lisboa, Torres Vedras e Alverca do Ribatejo. Conheça os pormenores dos cursos abaixo.

Ciclo de Formação: Técnicos e Decisores do 3º Sector

Estão abertas as inscrições – até dia 5 de Fevereiro – para os dois cursos de um ciclo de Formação destinado a técnicos e decisores do 3º sector, a decorrer em Lisboa, nos próximos dias 22 e 25 de Fevereiro.

“Liderança no Terceiro Sector – Motivação e Gestão de Equipas de Trabalho” é o primeiro, a ter lugar dia 22, entre as 9 e as 18h, em Lisboa. Já o segundo curso deste ciclo, “Ferramentas de Gestão Organizacional para Decisores de Organizações do Terceiro Sector – Liderança e Gestão de Projectos”, está agendado para dia 25, para o mesmo horário.

Ciclo de Formação: Agentes de Apoio a Crianças & Jovens | 26 e 28 de Fev

Já viu a oferta de formação que a Dianova tem disponível para Agentes de Apoio a Crianças para o próximo mês, em Lisboa e Alverca do Ribatejo?

Integram o Ciclo de Formação destinado a estes profissionais dois cursos, cada um desdobrado em duas sessões de 6 horas:  “Comportamentos Disfuncionais na Infância – Identificação e Actuação” (Alverca do Ribatejo, dias 26 e 28 de Fevereiro, 10-17h); e “Crianças e Jovens em Risco – Dinâmicas Associadas” (Lisboa, dias 25 e 27 de Fevereiro, 10-17h).

 As inscrições estão abertas até 4 de Fevereiro.

Ciclo de Formação| Saúde da Pessoa Idosa | 5 e 7 de Março

Destinado a Agentes de Apoio aos Seniores, o curso “Saúde da Pessoa Idosa”, está agendado para Torres Vedras, para os próximos dias 5 e 7 de Março (10-17h, em ambos os dias). Pode inscrever-se, até dia 11 de Fevereiro.

A ficha de inscrição para cada um dos cursos deve ser preenchida aqui.

Contactos do Centro de Formação Dianova | formacao@dianova.pt| 261 312 300

Anúncios

DIANOVA, Coordenadora para Portugal da nova campanha-concurso “MIGRANTES NA EUROPA” 2013

Dianova Portugal foi apontada como Coordenadora Nacional para Portugal junto da Comissão Europeia – Direcção-Geral dos Assuntos Internos (Comissária Europeia, Cecilia Malmstrӧm) da nova campanha-concurso multimédiaMigrantes na Europa” que será oficialmente lançada na próxima sexta-feira, dia 1 de Fevereiro, em todos os Estados-membro da EU.

O concurso dirige-se a estudantes com mais de 18 anos de idade a frequentar instituições de ensino de artes, jornalismo, audiovisual e comunicação da União Europeia e na Croácia. O trabalho deve descrever o papel que os migrantes oriundos de países não europeus desempenham nas sociedades europeias.

Brevemente serão disponibilizadas informações mais detalhadas sobre a campanha-concurso, endereço do website e da página Facebook “Migrantes na Europa”.

Como responsabilidades, competirá ao Coordenador Nacional – Rui Martins (Director de Comunicação da Dianova) –  desenvolver as seguintes actividades:

  • Gestão de criação de awareness da campanha junto de Públicos-alvo (Universidades e Estudantes) e outros Stakeholders de relevo (Governo, Sociedade Civil, Especialistas…),
  • Gestão de relacionamentos com públicos-alvo, desde a criação de base de dados e promoção – divulgação, passando pela gestão de esclarecimentos junto deUniversidades – Professores – Estudantes via Email | Telefone, recepção – entrega dos trabalhos, à organização da reunião do Júri nacional e da estadia dos vencedores em Bruxelas em Outubro 2013,
  • Gestão de actividades de Relações com os Media, (identificação e gestão de contactos com Media Imprensa | Radio |TV especializados em direitos humanos, migração, inclusão social, igualdade, diálogo intercultural, comunicação multimédia e marketing),
  • Gestão de comunicação Media Sociais, incluindo a página Facebook “Migrantes na Europa” e verificação – actualização de conteúdos PT no site “Migrantes na Europa”,
  • E monitorização, elaboração de relatórios de avaliação e report à Comissão Europeia.

O Coordenador Nacional deseja boa sorte a todos/as os/as candidatos portugueses!

1ª análise estratégica do mercado europeu das drogas divulgada a 31 de Janeiro

 

O consumo da cocaína e da heroína está a decrescer na Europa, segundo relatório da OEDT

 

Na próxima quinta-feira, dia 31, vai ser publicado o primeiro relatório sobre o mercado das drogas europeu. O “EU drug market report – a strategic analysis” foi realizado a “duas mãos”, pela Europol e pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência.

“O tráfico de drogas é uma actividade comercial altamente lucrativa e, na Europa, continua a ser um negócio-chave para os grupos de crime organizado nos dias de hoje. Compreender a realidade do mercado das drogas Europeu requer uma abordagem holística, seguindo a cadeia económica, desde a produção ao consumo, passando pelo tráfico”. Eis o mote do comunicado de imprensa emitido, hoje, pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência no seu site oficial.

Os mercados sob a mira das duas agências europeias envolvidas nesta análise – que cruza dados estatísticos com interpretações de especialistas – foram essencialmente os da heroína, da canábis, da cocaína, das anfetaminas, das metamfetaminas, do ecstasy e de novas substâncias psicoactivas. “Adoptando uma abordagem pragmática e aplicável”, as agências afirmam ter identificado “conclusões-chave para informar políticas futuras”.

Este relatório vai ser apresentado, na próxima quinta-feira, em conferência de imprensa, pela Comissária Europeia para os Assuntos Internos, Cecilia Malmström.
Mal tenha acesso ao documento, a Dianova partilhará nas redes sociais e noutras plataformas de comunicação as principais ideias contidas no relatório.

 

“Está o futuro da saúde para além da nossa imaginação?”

shutterstock_47232823_CMYK

 

Esta pergunta titula um artigo publicado, ontem, no blogue oficial do Fórum Económico Mundial, a decorrer neste momento em Davos, na Suíça. Neste post, David Gleicher e Darko Lovric, respectivamente gestores sénior e de projecto no Fórum, defendem que será necessária uma alteração na maneira como os serviços de saúde têm sido promovidos e prestados. E essa mudança, segundo as suas convicções, passará por “onde trabalhamos”, pelos “produtos que compramos” e “pelas cidades onde vivemos”. Abaixo, segue o artigo em questão, em português, que em algumas ocasiões dialoga com o recente relatório Sustainable Health Systems: Visions, Stategies and Scenarios.

 

“Antes de Davos se ter tornado o que é hoje, era conhecida como um sanatório. Com o seu ar limpo e sossego, Davos era um destino onde os enfermos iam vencer a sua doença num mundo pré-antibiótico. Nos dias de hoje, o cenário em Davos é muito diferente e, das centenas que participam nas reuniões anuais do Fórum Económico Mundial, poucas estarão conscientes do seu passado.

As inovações na saúde, dos antibióticos à genética, têm continuado e irão continuar a alterar o nosso mundo de uma forma surpreendente. Tal como os enfermos em Davos há cem anos teriam dificuldade em imaginar os nossos actuais sistemas de saúde, as nossas próprias suposições sobre o que é possível podem estar a cegar-nos e a impedir-nos de imaginar os sistemas de saúde do nosso futuro. Prolongando os nossos prossupostos e alargando o que pensamos possível, podemos melhorar a tomada de decisões no presente. Esta é a essência do trabalho do Fórum quanto à prevenção estratégica.

 

No Fórum Económico Mundial de 2012 estiveram envolvidos em workshops e entrevistas mais de 200 decisores de alto nível do sector público e uma vasta série de organizações do sector privado. Em cada caso, os participantes discutiram as incertezas que podem reconfigurar o contexto nos quais os sistemas de saúde se formam e operam. Foram identificadas, como críticas, seis incertezas:

Atitudes rumo à solidariedade: A solidariedade – a disponibilidade dos indivíduos para partilhar os riscos para a saúde da população – aumentará, decrescerá ou será condicionada por vários factores?

Origens da governance: O poder e a autoridade estarão predominantemente localizados a nível local, supranacional ou nacional?

Organização do sistema de inovação na saúde: Virá a inovação de dentro ou de fora do sistema existente? Qual será o nível de financiamento? Que tipos de inovação serão produzidos?

Acesso à informação de saúde: Quem tomará a responsabilidade de recolher e analisar os dados relativos à saúde? As pessoas darão o seu consentimento à utilização dos seus dados pessoais?

Influência sobre os estilos de vida: Até que ponto será aceite e implementada a influência activa sobre os estilos de vida individuais?

Cultura “saudável”: Viver saudavelmente será uma escolha para uma minoria, uma obrigação cívica ou uma aspiração?

 

Estas incertezas críticas revelam-nos que os sistemas de saúde do futuro podem e serão muito diferentes da forma como pensamos a saúde nos dias de hoje.

O novo relatório do Fórum Económico Mundial, Sistemas de Saúde Sustentáveis: Visões, Estratégias e Cenários, explora três exemplos de como estas incertezas podem moldar os sistemas de saúde no futuro.

Na “Saúde Integrada”, as fronteiras da indústria da saúde são redefinidas. As corporações providenciam novos produtos e serviços, à medida que os mercados se liberalizam, os governos cortam nos serviços públicos e um novo sentido de solidariedade condicionada emerge.

 

No “Novo Contrato Social”, os governos são responsáveis por conduzir a eficiência do sistema de saúde e por regular as organizações e incitarem as pessoas a perseguirem uma vida saudável.

 

Num modelo de “Indivíduos Super-Empoderados”, os cidadãos usam um conjunto de produtos e serviços para gerir a sua própria saúde. Entretanto, as corporações competem por este mercado lucrativo e os governos tentam abordar as consequências.

As maneiras como promovemos e providenciamos actualmente os serviços de saúde e os efeitos na sociedade são insustentáveis e terão que mudar.

A saúde não pode ser mais pensada per se. As previsões mostram-nos que o futuro assentará menos num comprimido mágico e mais numa mudança no modo como compreendemos e pugnamos pela saúde na sociedade. A saúde é criada para além dos confins das paredes do hospital e dos gabinetes dos doutores. Está a ser criada nos locais onde trabalhamos, nos produtos que compramos e (cada vez mais) nas cidades em que vivemos. O relatório revela que podem ser alcançadas novas perspectivas para sistemas de saúde sustentáveis quando os agentes dos ministérios do governo, as indústrias e a sociedade civil, unidos, estiverem preparados para testar as suas suposições nucleares.

Apesar dos seus melhores esforços e recursos, os líderes mundiais não podem prever ou adivinhar exactamente o que o futuro trará, mas estando abertos a todas as possibilidades e desafiando as mentalidades viradas para o “business-as-usual” podem tomar melhores decisões – decisões que irão conduzir-nos rumo a um futuro mais saudável.”

 

Formação co-financiada | Torres Vedras | Março 2013

O Centro de Formação Dianova tem, neste momento, abertas inscrições para 3 cursos co-financiados, para o município de Torres Vedras, com início agendado para Março.

 

O objectivo destas formações é capacitar capital humano que esteja em idade activa – principalmente pessoas que estejam empregadas, aumentando a sua capacidade de produção e criando competitividade nas empresas e Organizações, ou pessoas desempregadas, que consigam aumentar, por via da formação, as suas hipóteses de empregabilidade mais qualificada.

 

OS CURSOS:

 

> ATENDIMENTO PERSONALIZADO (Junta de Freguesia de São Pedro e Santiago, 50h)

 

> SAÚDE DA PESSOA IDOSA – Prevenção de Problemas (Dianova Portugal, Quinta das Lapas, em Monte Redondo, 25h)

 

> AMBIENTE, SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO – Conceitos básicos (Dianova Portugal, Quinta das Lapas, Monte Redondo, 25h)

 

 

 

Para se inscrever, descarregue a ficha de pré-inscrição (http://www.slideshare.net/Dianova/ficha-de-pr-inscrioformandos-poph).

 

Depois de preencher o formulário, envie-o para o Centro de Formação Dianova (formacao@dianova.pt) ou entregue-o na Junta de Freguesia de São Pedro e Santiago ou na UNAFEQ (Unidade de Apoio à Formação, Emprego e Qualificação – Torres Vedras).

 

Inscrições abertas até 8 de Fevereiro.

 

Formação Dianova Co-financiada | Torres Vedras | Março 2013 from Dianova Portugal

 

Centro de Formação Dianova | Storytelling: “As Pessoas Para Além dos Números”

 

Este vídeo integra a apresentação “As Pessoas Para Além dos Números”, realizada por Susana Almeida, Gestora do Centro de Formação Dianova, no evento de Economia Social Covilhã 17 de Janeiro de 2013, da iniciativa “Oportunidade EU2020: sim ou não?!”, da qual a Dianova é Parceiro Embaixador para a Economia Social.

A formação mencionada neste vídeo foi co-financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português.

“Estratégia Europa 2020: Oportunidade para o Sector de Economia Social, Sim ou Não?” | Dianova presente | Hoje, na Covilhã

Imagem

 

Como Parceiro Embaixador para a Economia Social da iniciativa “EU2020 Oportunidade: sim ou não?”, a Dianova irá participar, esta tarde, no seminário “Estratégia Europa 2020: Oportunidade Para O Sector da Economia Social: Sim ou Não?”, na cidade da Covilhã.

Intervém, no último painel do dia, como oradora, Susana Almeida, Gestora do Centro de Formação Dianova, que fará a apresentação “Formação para a Inclusão: as Pessoas para além dos Números”, que incluirá, depoimentos em vídeo, na primeira pessoa, de formandos de várias acções de formação Dianova e de parceiros da associação na área da Aprendizagem Ao Longo da Vida.

Dois dos objectivos centrais deste evento, organizado pela Associação Portuguesa de Gestão de Pessoas (APG), consistem em “potenciar sinergias entre organizações do 3º sector, empresas, departamentos do Estado e instituições comunitárias” e em “identificar caminhos e soluções de sustentabilidade para o sector da Economia Social, alinhados com os eixos de acção da Estratégia Europeia 2020”.

 

Intervenientes e principais temas

Além da Dianova, estarão presentes representantes da Agência Portuguesa do Ambiente (com a comunicação “Promover o Crescimento Sustentável: tendências e oportunidades”), da Universidade da Beira Interior (“Empreendedorismo Social: Inovação e Inclusão para um Desenvolvimento Sustentável”) e da SCMC (“A Incubadora Social como activador de emprego e dinamização do Centro Histórico”), entre outros oradores.

O debate principal será em torno dos “caminhos de sustentabilidade para um sector de economia social mais competitivo, mais sustentável e mais solidário” e contará com delegados da EAPN Portugal, Cáritas Portugal, Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES), bem como do IEFP, da Câmara Municipal da Covilhã e da Fundação Montepio.