100 Portugueses mais influentes em 2012 – REVISTA do “Expresso”

Influência: “Acção que uma pessoa ou coisa exerce noutra; efeito; autoridade moral ou financeira; preponderância”. Influente: “Que influi ou exerce influência. Importante”. É assim que o Dicionário de Língua Portuguesa da Porto Editora define os termos em destaque na edição deste fim-de-semana da Revista do semanário Expresso: os 100 portugueses com maior inluência em 2012.

Elas e eles agitam, são consagradas e consagrados, criam, lideram. Há ainda os visionários e as revelações. Pelo menos, o crivo da revista do Expresso assim os escolheu e designou. Muitos deles são alvo de grandes ódios e paixões. Provêm de várias áreas: sociedade civil, cultura, ciência, política, desporto, banca e empresariado. São 16 mulheres ao todo em 100. E são todos portugueses, alguns deles portugueses internacionais.

O que liga Jerónimo de Sousa, secretário-geral do Partido Comunista Português, e Américo Amorim, um dos homens mais ricos do mundo segundo a revista Forbes? Por exemplo um título: ambos são “Líderes” influentes no país em ano de dieta austera e protestos sociais. Nesta lista na área da liderança, sem lugares nem pódio, encontram-se ainda Isabel Jonet, presidente do Banco Alimentar Contra A Fome, Leonor Beleza, presidente da Fundação Champalimaud, Cristiano Ronaldo, jogador de futebol, o padre Lino Maia, presidente da Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade, o presidente da República Cavaco Silva, ou Pedro Passos Coelho, Primeiro Ministro, e ainda António Mexia, presidente da EDP.

No campo das “Revelações”, destacam-se dois ministros da actual maioria PSD/CDS – os políticos estreantes Nuno Crato e Vítor Gaspar – e o novo líder da CGTP, Arménio Carlos. Intregam também esta categoria os ex-políticos Luís Marques Mendes e Jorge Coelho, opinion maker na TVI e gestor na Mota-Engil respectivamente. Outros nomes que sobressaem no top: Assunção Esteves, presidente da Assembleia da República, e João Salaviza, realizador de curtas-metragens premiadas no Festival de Cannes e no Festival de Berlim.

A Revista chama-lhes “Visionários” influentes, título que não é para qualquer um: o investigador Sobrinho Simão, o filósofo Eduardo Lourenço, o padre e escritor José Tolentino de Mendoça e a economista Fátima Barros foram dados como vanguardistas com influência. Já o arquitecto Siza Vieira, a artista Joana Vasconcelos, a actriz Rita Blanco e o escritor Valter Hugo Mãe são colocados lado a lado da judoca Telma Monteiro, a jornalista Judite Sousa e o neurocirurgião João Lobo Antunes no lote de “Consagrados” eminentes.

O bastonário da Ordem dos Advogados Marinho Pinto, o sociólogo António Barreto, o empresário Alexandre Soares dos Santos, o comentador Marcelo Rebelo Sousa e o ex-Primeiro Ministro Mário Soares, bem como os humoristas Bruno Nogueira e João Quadros são “enquadrados” na classe dos “Agitadores” preponderantes em 2012.

Outra espécie de agitadores culturais – os “Criadores” – também têm espaço na lista dos mais influentes em 2012. São os casos da fadista Carminho, do actor e encenador Luís Miguel Cintra e da escritora Dulce Maria Cardoso, entre outros.

Conheça a lista integral aqui. Sábado, em destaque na Revista.

Anúncios