Setor não lucrativo representa 2% do PIB. Agência Financeira 17-04-2012

As instituições portuguesas sem fins lucrativos contribuíram com dois por cento para o Produto Interno Bruto (PIB) nacional, entre 2002 e 2010. Desta feita, ocupam o 13.º lugar numa tabela de 15 países liderada pelo Canadá, segundo uma universidade norte-americana.

A comparação feita pelo Centro de Estudos da Sociedade Civil da Universidade John Hopkins coloca Portugal atrás de Moçambique (3.º da lista, com 6,6 %), do Brasil (10.º, com 2,3%), do Quirguistão (11.º, com 2,2%) e do México (12.º, com 2%), e à frente da Noruega (14.º, com 1,6%) e da República Checa (15.º, com 0,6%), adianta a agência Lusa.

A contribuição média do setor não lucrativo dos 15 países estudados para o PIB situa-se nos 3,6%.

O estudo efectuado em parceria com o Instituto Nacional de Estatística (INE), vai ser apresentado esta terça-feira à tarde numa sessão que decorre na Fundação Luso-Americana, em Lisboa, uma das entidades que apoiou o mesmo estudo, a par da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação Aga Khan.

O setor não lucrativo no nosso país é dominado pelas entidades de assistência social, como por exemplo as misericórdias, que representam 47%, seguida do movimento associativo com 14%, da educação com 11% e da saúde com 7%, que são os setores mais significativos.

Os oito países que também produziram informação estatística que permitiu à instituição americana realizar o estudo são Israel que fica em 2.º lugar, a Bélgica em 4.º, Estados Unidos da América em 5.º, a Austrália em 6.º, o Japão em 7.º, a França em 8.º, a Nova Zelândia e Tailândia em 15º.

Analisando como base o emprego criado pelas instituições nacionais sem fins lucrativos, dados referentes a 2006 indicam que Portugal sobe para 9.º lugar, com uma taxa de 4,3%, sendo que a média é de 5,5%. No topo da tabela está a Bélgica com 11,5%, seguida de Israel com 11,2% e do Canadá com10%.
O último lugar é ocupado pela Tailândia que regista 0,7%.

Em Portugal, o emprego proporcionado pelo setor é também dominado pela assistência social com 52%, seguido do movimento associativo com 16%, da educação com 11% e da saúde com 7%.

O estudo conclui que o setor não lucrativo em Portugal tem uma dimensão maior do que era estimada: promove uma quantidade significativa de empregos, cerca de 185 mil e, financia-se em diversas origens. Além disso, apresenta ainda a caraterística de não depender dos donativos como primeira fonte de receita.

http://www.agenciafinanceira.iol.pt/economia/santa-casa-da-misericordia-instituicoes-sem-fins-lucrativos-produto-interno-bruto-estudos-da-sociedade-civil-da-universidade-john-hopkins–agencia-financeira/1341438-1730.html

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s