Prémio Dianova | Lusófona: Cooperação, Inovação Social e Educação

Institutos da droga e sangue vão ser fechados

O Ministério da Saúde vai extinguir um terço dos seus organismos, ou seja, sete num total de 22. Entre eles estão o Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT), a Autoridade para os Serviços de Sangue e da Transplantação e o Instituto Português do Sangue. O Alto-Comissariado e a Missão Parcerias em Saúde seguem o fim anunciado. Alguns dos institutos serão extintos ou fundidos com outras estruturas do ministério.

Ontem, durante uma audição na Comissão Parlamentar de Saúde, o ministro Paulo Macedo anunciou um corte de 30% no número de dirigentes no ministério, que está relacionado também com a fusão e extinção de organismos. Fonte do ministério confirmou que a redução de organismos prevista será de 22 para 15. Mas a versão final será conhecida no Orçamento de Estado para 2012.

O IDT será um institutos a extinguir e as suas atribuições ficarão a cargo de outros organismos na saúde. Este instituto já tinha sofrido sucessivos cortes-200 trabalhadores a menos, perda de um milhão no seu orçamento para este ano. Agora, prevê-se a transferência das suas actividades e funções para outro organismo, que deverá ser o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), segundo fontes ligadas ao processo.

Contactado pelo DN, o presidente do IDT, João Goulão, desconhecia a intenção e apenas comentou que “uma eventual integração noutro organismo seria prejudicial” à prestação de cuidados nesta área.

Ontem, o secretário de Estado adjunto e da Saúde Leal da Costa assegurou aos deputados que esta área continua a ser prioritária. “Há até um plano para aumentar. Temos reunido com os responsáveis para definir formas de alargar o âmbito das suas competências para outros comportamentos aditivos”, referiu. Comportamentos aditivos como os relacionados com o jogo, compras, medicamentos e até com o trabalho estavam entre as áreas a integrar na esfera do IDT. Continuar a ler