Drogas em Portugal: da criminalização à descriminação

João Goulão, presidente do Instituto da Droga e da Toxicodependência, faz um balanço da actual situação social após a implementação da política de descriminalização do uso de drogas, em 2004.

Após a implementação de uma política de descriminalização face ao uso de drogas, decretada em 2004, o Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT), criado para tratar toxicodependentes, reinserir aqueles que, um dia, tiveram problemas com a droga e evitar que novos dependentes se criem, já mostra resultados.

João Goulão, que assumiu a presidência do IDT em 2005, mostra-se “genericamente satisfeito” com os sucessos obtidos pelo grupo até agora, pois, “ao fim de três anos”, o instituto apresenta “uma execução ao nível dos 87 por cento dos objectivos fixados”.

Para explicar tais resultados, há um marco importante a reter: a aprovação da Estratégia Nacional de Luta Contra a Droga, em 1999, que teve por objectivo combater o tráfico, reduzir a oferta e diminuir a procura de drogas. A estratégia passa, igualmente, pela prevenção, tratamento, redução de riscos e minimização de danos, bem como pela reinserção social. Segundo o presidente do instituto, se antes vivíamos uma tendência de subida nos consumos, especialmente junto das camadas mais jovens da população, temos agora uma diminuição do consumo de drogas como consequência de tais medidas.

Mas a medida mais importante de todas surge com a descriminalização do consumo de drogas, uma decisão importante para a obtenção de bons resultados no combate ao vício, entende o João Goulão. A medida permite, acima de tudo, “ter uma atitude muito mais consequente e uma linguagem muito menos esquizofrénica em relação à questão das drogas”, explica o presidente do IDT.

Ler o texto completo em JornalismoPortoNet

1 Comentário

  1. o fruto proibido e sempre mais apetecido,foi uma acçao correcta despenalizarem o consumo de drogas,pois o que deixa de ser proibido perde tambem a emoçao, mas nao acaba aqui a despenalizaçao pois sao reencaminhados para os idt para tratarem as suas dependencias atraves de ordem do juiz. a droga combate-se prevenindo e ajudando e nao recriminando


Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s