Tratar a sida custa por ano 200 milhões

Os tratamentos dos doentes com sida são dos mais caros para o Serviço Nacional de Saúde (SNS), representando uma despesa anual de 200 milhões de euros – cerca de 10 mil euros por cada paciente, segundo a Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida.
Os custos com estes doentes são totalmente suportados pelo Estado. Os medicamentos são gratuitos para as pessoas infectadas com o vírus da imunodeficiência humana (VIH), assim como os cuidados de saúde – actualmente estão em tratamento cerca de 22 500 doentes com sida.
O elevado custo das terapêuticas deve-se ao investimento que a indústria farmacêutica faz na procura de novos fármacos para combater a infecção, que na maioria das vezes é fatal. Em todo o Mundo, há apenas um genérico do AZT, um dos primeiros anti-retrovirais que surgiram no mercado internacional, que só pode ser administrado nos hospitais.
“A crise económica que o País atravessa pode levar as administrações das unidades de saúde a cortar a despesa nos medicamentos.” O alerta é feito pelo especialista em sida, Eugénio Teófilo, do Hospital dos Capuchos, em Lisboa. “Poderá haver o risco de quererem cortar na despesa com os medicamentos, mas depois teremos mais internamentos. Não se pode fazer cortes cegos, a vida humana não tem preço”, sublinha o médico.

Ler o resto da notícia na edição em papel do Jornal Correio da Manhã.

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s