Desmantelado o maior laboratório de cannabis da Europa

A Unidade Nacional de Contra Terrorismo (UNCT) da Polícia Judiciária detectou e desactivou o maior laboratório de cannabis da Europa, situado em Sarilhos Grandes, concelho do Montijo. O volume de negócios que saía daquele espaço podia chegar aos dois milhões de euros por ano, o equivalente a mais de 200 mil euros mensais. Os detentores desta máquina de fazer dinheiro eram quatro ingleses implicados no rapto e tortura de um dealer escocês, de nome James Ross, que supostamente teria feito chantagem pela exigência de uma maior “margem de lucro”. Os traficantes ingleses foram detidos no Algarve, tendo um deles, em liberdade, regressado ao laboratório para tentar recuperar um pónei. “Meteu-se no carro e desapareceu”, deixou escapar Américo Balseiro.

“Os quatro detidos pela PJ eram perigosos e violentos, cadastrados com um historial de crimes contra a vida, explosões, roubos, incêndios, posse de armas de fogo e tráfico agravado”, adiantou o director da UNCT. Dois deles eram procurados em Inglaterra, um dos quais será um recluso evadido. Em Portugal tinham quatro sítios: uma roulotte em Monchique, uma casa no Barrocal, Messines (onde foram detidos), uma plantação de cannabis em Ferreira do Alentejo e o tal laboratório no Montijo. Foram apreendidos três automóveis e quatro armas de fogo ao grupo.

O laboratório que já estava estabelecido há alguns meses nas instalações de uma antiga empresa de gesso da região, produzia cannabis em copos de plástico, que depois transformavam numa droga de alta qualidade designada por super skunk. Esta qualidade da planta produzida através de complexos sistemas de luzes, condicionadores de ar e irrigação, funcionando permanentemente e de forma automatizada, deram origem à produção de um elevado teor do princípio activo THC (tetra-hidrocanabinol), tornando o super skunk quatro vezes mais forte do que o tradicional.

Segundo o director da UNCT, não havia colaboradores portugueses nesta rede de produção e tráfico de droga que era maioritariamente distribuída no Reino Unido. Os quatro detidos, com idades entre 24 e 47 anos, são acusados dos crimes de rapto, sequestro qualificado, ofensas à integridade física graves, roubo qualificado, tráfico internacional de estupefacientes e associação criminosa. James Ross ficou sem uma orelha e vários dedos superiores e inferiores depois do espancamento e tortura.

Anúncios

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s