Centro Educativo Dianova, Las Marías, na Nicarágua torna-se Associada da Rede de Escolas UNESCO

Torres Vedras, 27 de Setembro de 2010.  O Centro Educativo Integral Las Marías, que a Dianova gere em Managua (Nicarágua), acaba de obter a certificação como Escola Associada da UNESCO. A escola da Dianova passa assim a fazer parte da redPEA (Rede do Plano de Escolas Associadas da UNESCO), que conta já com 8500 instituições educativas em todo o mundo.

As escolas e estabelecimentos pertencentes a esta rede são considerados centros de inovação, que contribuem para levar mais longe a disseminação dos ideais da UNESCO nas comunidades envolventes. Ser uma Escola Associada da UNESCO, implica o compromisso de implementar programas piloto que promovam a qualidade do ensino e da educação, reforçando as suas vertentes humanistas, culturais e internacionais.

O proceso de acreditação, que durou mais de um ano, contemplou um conjunto de actividades alinhadas com um dos pilares de trabalho estabelecidos pela UNESCO: o Meio Ambiente. Neste sentido a escola Las Marías da Dianova, começou a implementar um ambicioso projecto de educação ambiental que inclui um programa de reflorestação local.

400 crianças recebem educação graças à Dianova

O Centro Educativo Integral Las Marías da Dianova, proporciona educação e ensino a quase 400 crianças e adolescentes de baixos recursos, dos quais aproximadamente 85 encontram-se em regime de internato devido às necesidades especiais, nomeadamente de assistência psico-social permanente.

O colégio Las Marías tem obtido importantes resultados, incluindo desportivos, a nível nacional e internacional e tem seguido uma linha de acções orientadas à conservação e ao bom uso dos recursos naturais, nomeadamente em projectos de reflorestação e criação de viveiros.

O conjunto de todas estas apostas e resultados, e o bom trabalho desenvolvido ao longo de mais de 12 anos na senda de tornar possível a educação integral, foram contributos inegáveis para que o centro educativo Las Marías da Dianova veja hoje este reconhecimento ao tornar-se uma escola associada da redPEA da UNESCO.

Contribuir para levar água e luz ao colégio Las Marias

A Dianova em Espanha está a levar a cabo uma iniciativa de apoio ao colégio Las Marias na Nicarágua, criando um concerto solidário de Música Clássica. Podem consultar todas as informações, detalhes e formas de contribuir no site www.llevareluzyagua.org .

Dianova em Portugal recebe a 1ª Visita Oficial do Conselho Nacional para o Controlo de Estupefacientes do Chile (CONACE)

A Dianova em Portugal recebeu na sua sede em Torres Vedras no passado dia 21/09 a visita oficial de Sra. Francisca Florenzano Valdés, Secretária Executiva do CONACE, organismo do Ministério do Interior do Chile e Sra. María Elena Riveros Espiñeira, Chefe da Área Internacional e da Área Técnica de Prevenção deste mesmo organismo. Esta visita deveu-se aos contactos mantidos com a Dianova no Chile, que procurou compilar na Rede Dianova as melhores experiências no âmbito da (Re)Inserção para contribuir na discussão e análise de novos caminhos de actuação do CONACE no âmbito de programas complementares aos programas de tratamento de toxicodependências, actualmente em curso naquele país.

O Conselho Nacional para Controlo de Estupefacientes (CONACE) é um comité interministerial, cuja missão é assessorar o Presidente da República em todas as questões e matérias relacionadas com a prevenção e controlo de uso indevido, a produção e tráfico ilícito de substâncias, drogas e estupefacientes e com as demais actividades, como as relativas a tratamento, reabilitação e reinserção social das pessoas afectadas pela toxicodependência.

Este é um organismo que trabalha de forma intersectorial com diversas instituições públicas (ministérios, serviços públicos, municípios, etc) e em colaboração com instituições privadas (igrejas, ONG’s, empresas, etc) e com uma grande diversidade de indivíduos (famílias, agentes, dirigentes sociais, profissionais e líderes em geral). É desta forma de actuar orientada à cooperação, partilhada pela Rede Dianova, que surge esta 1ª Visita Oficial a uma unidade Dianova, tendo a escolha recaído sobre Portugal pelas suas experiências e práticas de projectos de (Re)Inserção, e aproveitando uma deslocação destas representantes do CONACE ao Fórum de Cidades sobre Politicas Municipais, a decorrer em Coimbra.

A Dianova teve oportunidade de mostrar e partilhar o que se vem fazendo em Portugal no âmbito da Comunidade Terapêutica da Quinta das Lapas e na Empresa de Inserção Viveiros Dianova em Monte Redondo, com focus nas soluções de (Re)Inserção trabalhadas para os seus utentes.

SNS colocou saúde portuguesa em 12.º lugar mundial

O Serviço Nacional de Saúde (SNS) é, porventura, o serviço público português com maior impacto na evolução de todo o colectivo nacional.

O SNS é hoje amplamente reconhecido e citado como uma extraordinária realização social de Portugal. Foi uma promessa e um fruto da nossa Democracia e tem sido um instrumento valioso para garantir equidade e coesão social.

No início dos anos 70, Portugal tinha os piores indicadores de saúde da Europa Ocidental. Vinte anos depois da sua criação, em 15 de Setembro de 1979, a Organização Mundial de Saúde, no seu Relatório Mundial de 2000, posicionava o desempenho do sistema de saúde português em 12.º lugar entre 191 países.

No seu Relatório Mundial de 2008, a Organização Mundial da Saúde reconhece novamente Portugal como um bom exemplo a nível mundial, desta vez para destacar a prioridade dada aos cuidados de saúde primários. 

Tem havido um forte investimento no SNS, e os ganhos obtidos são compensadores.

O governo instituiu o dia 15 de Setembro como o dia do SNS, decisão tomada na comemoração dos seus 30 anos sob o lema Garantir o Futuro. Portal Governo

+ler notícia: http://www.governo.gov.pt/pt/GC18/Governo/Ministerios/MS/Notas/Pages/20100914_MS_Com_SNS.aspx

Pensões de reforma aumentam menos de 1% em 2011

A actualização das pensões de reforma vai oscilar entre 0,8 % e 0,9%, adianta o Diário Económico salientando que o aumento, estimado com base em previsões recolhidas junto da banca, não é visto com bons olhos pelos sindicatos.

No próximo ano, a maioria das pensões não deverá aumentar mais do que 0,8 % ou 0,9%, a avaliar pelas previsões obtidas pelo jornal junto de vários bancos.

E, de acordo com o rotativo, «as restantes deverão contar com aumentos mais baixos ainda. Isto porque a actualização das pensões está indexada à inflação de Outubro».

Os cálculos dos vários economistas (Montepio, BPI, BES, Santander e Informação de Mercados Financeiros) apontam para que a inflação média dos últimos 12 meses, em Outubro, se situe entre 0,9% e 0,92%.

O cálculo das pensões é feito com base no valor da inflação disponível a 30 de Novembro (portanto, registado em Outubro), mas exclui habitação. Diário Digital

+ler notícia: http://diariodigital.sapo.pt/dinheiro_digital/news.asp?section_id=1&id_news=143543

Protesto de alunos cala Sócrates e Gago

“Não há cerimónias porque nos últimos 15 anos as propinas aumentaram 400 por cento”, alegou um grupo de estudantes universitários, ontem, na recepção ao primeiro-ministro no Instituto Superior de Engenharia do Porto.

A cerimónia, que contava também com a presença do ministro do Ensino Superior, Mariano Gago, foi mesmo interrompida quando os cerca de vinte alunos, da Academia do Porto, subiram ao palco com um cartaz de protesto contra o valor das propinas e o financiamento do Ensino Superior.

Sócrates e Gago ficaram sem palavras perante a inesperada manifestação que passou pela leitura de um comunicado e por algumas vaias. “Não há cerimónias enquanto a maioria dos 70 mil bolseiros receber de bolsa mínima apenas 100 euros por mês”, foi um dos doze pontos reclamados perante os governantes. Os alunos que protagonizaram o protesto acabaram por ser retirados do palco, mas um cartaz ficou à vista na sala. “Gago, quanto pagaste de propinas?”, lia–se. “Estamos aqui também em nome de alunos que deixam o Ensino Superior porque não podem pagar as propinas”, disse ao CM Nuno Moniz, aluno que liderou a acção.

José Sócrates sorriu, ignorou o protesto e fez o discurso oficial. Foi Mariano Gago a reagir aos contestatários. “Os apoios estão reservados para os que são verdadeiramente carenciados. Somos um País democrático, cada um pode exprimir a sua opinião”, disse.  CM Online

+ler notícia: http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/nacional/ensino/protesto-de-alunos-cala-socrates-e-gago

Político alemão avisa que Portugal arrisca seguir o caminho da Grécia

Michael Meister, dirigente de topo do partido de Angela Merkel, acusa o Governo Sócrates de não fazer o suficiente para impulsionar a economia

Portugal não está a fazer o que é necessário para evitar cair na mesma situação em que caiu a Grécia. O aviso foi feito ontem por Michael Meister, dirigente de topo do partido da chanceler alemã Angela Merkel.

O recado crítico a Portugal foi passado durante uma entrevista que Meister, porta-voz para as questões financeiras do partido dos democratas-cristãos, concedeu ontem à agência de notícias Bloomberg, em Berlim.

O político germânico teme que Portugal caia numa recessão profunda porque não está a fazer o suficiente para dinamizar a economia e o Governo não avança medidas para tornar as empresas mais competitivas. Meister aconselha Portugal a investir mais na área da educação e da formação, e nas novas tecnologias, como a Alemanha fez, no passado não muito distante, e com bons resultados, conforme sublinhou Meister.

“Cada país tem que fazer a sua parte para impulsionar a sua economia na zona euro, e não apenas cortando nos gastos, como Portugal fez”, criticou Michael Meister. O porta-voz da CDU para as questões financeiras acrescentou: “Necessitamos de assinalar aos mercados – não se preocupem, porque estamos a resolver os nossos problemas estruturais e seria desejável mais participação de Portugal.”

Apesar de surpreendentes, as declarações de Meister não surgem fora de contexto, porque a Alemanha tem dado sinais de preocupação com a timidez da retoma económica europeia e com os ritmos divergentes a que se está a processar entre os diversos países – particularmente os do Sul.

E, quando a Grécia corria risco de incumprimento, o Governo germânico esticou tanto quanto pôde a corda dos apoios, até que o executivo grego se comprometesse com um rigoroso plano de estabilidade. “Seguramente, não é nosso objectivo ver outro Estado-membro a ter que recorrer aos fundos europeus de emergência”, assegurou Meister.

As críticas do dirigente democrata-cristão alemão surgem também em linha com as mais recentes posições do comissário europeu responsável pelos assuntos financeiros. Anteontem, Olli Rehn manifestou preocupação pelo facto de a recuperação económica europeia estar a acontecer “a duas velocidades” e acrescentou que a situação actual poderá pôr em causa a coesão comunitária.

Numa mensagem para o Governo Sócrates, Rehn referiu que é necessário aprofundar a consolidação orçamental e realizar reformas estruturais para que o país regresse a um cenário de crescimento sustentável e de criação de emprego.

Anteontem, a Comissão Europeia reviu em alta as previsões de crescimento para a zona euro (1,8 por cento em 2010). Neste quadro, Portugal acentuará divergências com os seus principais parceiros, uma vez que não é expectável que a economia cresça acima de 1 por cento no corrente ano. Públco Online

+ler notícia: http://jornal.publico.pt/noticia/15-09-2010/politico-alemao-avisa-que-portugal-arrisca-seguir-o-caminho-da-grecia-20204755.htm

Igreja com campanha no multibanco

Espaços da aplicação devem ser preenchidos com o dígito 2, seguidos do montante da dádiva

É só carregar na tecla 2 em todos os campos a preencher no multibanco para fazer uma dádiva. Depois, no último passo, escolhe-se o valor a doar. Esta é mais uma plataforma que a Igreja Católica Portuguesa quer usar para ajudar os mais pobres a enfrentar a crise.

“O dinheiro será usado em projectos concretos para ajudar os necessitados”, explicou ao DN um dos bispos auxiliares de Lisboa. D. Carlos Azevedo, que ontem em Fátima debateu, com centenas de participantes da Pastoral Social, os principais problemas que afectam os portugueses.

O bispo dá como exemplo os casos, cada vez mais gritantes, de casais em que ambos ficam no desemprego. “Uma das formas de ajuda é ajudar na criação do próprio emprego, por exemplo”, diz D. Carlos Azevedo, presidente da Comissão Episcopal de Pastoral Social.

O destino a dar aos donativos, que entrarão directamente no Fundo Social Solidário, criado em Julho, terá de ser regulamentado pelos bispos portugueses, numa reunião a realizar em Novembro. “Mas já é possível doar verbas”, garante.

Esta forma simples e fácil para quem quiser ajudar a Igreja no seu apoio social. A hierarquia católica quer, porém, regras muito bem definidas para este apoio financeiro. As paróquias e as dioceses serão chamadas a definir quem deve receber ajuda do Fundo Social Solidário. Até porque o clero português quer evitar a todo o custo a má utilização do dinheiro, como tem acontecido nalguns casos do rendimento social de inserção (RSI).

Quem dá a voz a essa crítica é o director do Internato de crianças e jovens de Viseu, que ontem também esteve na reunião: “A lei do RSI até está bem feita, mas as pessoas recebem esse dinheiro sem trabalhar, sem que lhes seja pedida responsabilidade e por isso contornam a lei.”

O presidente da Cáritas Portuguesa, Eugénio Fonseca, lamenta o facto de ainda não haver regulamento do funcionamento do fundo, para que se divulgue o pedido de partilha a quem possa ajudar. Eugénio Fonseca disse que, até Agosto, tinham sido doados 34 322 euros. O destino dessa verba só será definido em Novembro.

Quem está no terreno sabe bem as grandes carências. Uma das voluntárias da Paróquia de Santa Isabel, em Lisboa, Ana Jernis Pereira, 68 anos, diz que, com a crise, organizaram-se dez equipas de 15 pessoas cada para fornecer ceias a quem tem fome: “Estão a aumentar os pedidos de ajuda, não podemos ser indiferentes.” DN Online

+ler notícia: http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1662739