Vírus do Nilo. “O sul do país é uma zona de risco”

Calor ameaça alargar zonas de risco. Caso confirmado foi detectado na região de Lisboa e Vale do Tejo

O primeiro caso português de infecção pelo vírus do Nilo Ocidental, divulgado pela Direcção Geral da Saúde (DGS) na sexta- -feira, foi ontem confirmado pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA) depois de o subdirector geral da Saúde, José Robalo, o ter dado como “praticamente confirmado” na segunda-feira. “Há um caso sintomático em Portugal, que foi sujeito a análises e foi já confirmado”, afirmou ao i José Calheiros, especialista da rede de Vigilância de Vectores do INSA. A região de Lisboa e Vale do Tejo tem estado a ser monitorizada pela captura e análise de mosquitos – que são o vector de transmissão da doença, não transmitida de humano para humano. Foram até agora realizadas mais de 20 análises a amostras de mosquitos que possam transmitir a doença, mas segundo o INSA nenhum deles acusou a presença de vectores do vírus do Nilo Ocidental. Nem todos os mosquitos portadores do vírus o transmitem, o que faz com que o risco de infecção seja muito baixo.

Sintomas A infecção pelo vírus do Nilo Ocidental é “em 80% dos casos assintomática e nos restantes 20% os sintomas são quase sempre confundidos com os de gripe”, explica José Calheiros. Segundo a Organização Mundial de Saúde, apenas uma em cada 150 pessoas infectadas nos EUA desenvolveu encefalite ou meningite, com sintomas de febre, desorientação, rigidez da nuca e dores de cabeça. O risco de desenvolvimento grave da febre do Nilo é maior em pessoas idosas ou com o sistema imunitário enfraquecido. A doença pode afectar também aves, cavalos e animais domésticos de pequeno porte.

Alterações climáticas José Calheiros diz que “o Sul de Portugal é uma zona de risco” da presença do vírus, mas que “com estas temperaturas, já não se sabe o que é Sul e Norte” e há a possibilidade da alteração do habitat dos mosquitos transmissores de doenças tropicais. Os especialistas alertam para a possível incidência de doenças tropicais na Europa causadas pelas alterações climáticas através de um estudo europeu que envolve Portugal, o EDEN (Doenças Emergentes num Ambiente Europeu em Mudança). Jornal i

+Ler notícia: http://www.ionline.pt/conteudo/71054-virus-do-nilo-o-sul-do-pais-e-uma-zona-risco

Advertisements

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s