Anúncios

Toxicodependentes afegãos são o dobro da média mundial

Já se sabia que o Afeganistão é o maior produtor do mundo de ópio fornecendo 90% do que é consumido globalmente e que a dependência de drogas estava a crescer. Mas um novo relatório mostra que os toxicodependentes afegãos já são o dobro da média mundial.

“Nunca vimos nada assim em nenhuma parte. É alarmante”, disse aos jornalistas em Cabul Sarah Walker do Gabinete da ONU contra a Droga e o Crime UNODC. Muitos viciados são mulheres viúvas e divorciadas e crianças, perto de 50% dos toxicodependentes nas zonas rurais dá droga aos filhos no que a ONU descreve como um fenómeno único de dependência imposta a menores.

As Nações Unidas consideram ainda especialmente preocupantes os níveis de consumo na polícia 12 a 41% dos testes entre os recrutas são positivos. Cerca de 8% dos afegãos é dependente de alguma droga, o dobro da média mundial. Público

+Ler notícia: http://www.mynetpress.pt/pdf/2010/junho/2010062220b6d0.pdf

Waka Waka This time for Africa

Momentos de Glória e União dos Povos: The Official 2010 FIFA World Cup (TM) Song performed by Shakira. (C) 2010 Sony Music Entertainment

O café ajuda a prevenir o cancro

É uma boa notícia para os amantes de café: quem o bebe regularmente fica com menos 39% de hipóteses de desenvolver cancro da boca e da faringe. A conclusão é de um estudo americano, publicado na revista “Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention”. 

A afirmação apoia-se em nove estudos já realizados sobre o tema, mas segundo Mia Hashibe, professora do departamento de família e medicina preventiva da Universidade de Utah e líder do estudo, a amostra ser significativa é bastante importante: “O que torna os nossos resultados tão singulares é o facto de utilizarmos uma amostra ampla e, já que combinamos os dados de diversos estudos, ganhamos mais poder estatístico para relacionar o café e o cancro”.
Outros estudos sugerem que o café pode ajudar a combater o aparecimento de tumores, como da próstata, do cérebro e do fígado. Além disso, concluiu-se que ajuda no tratamento da depressão e protege contra a perda de memória.

Porém, é necessário bebê-lo com equilíbrio, dizem os investigadores: se bebido em demasiada, o café também tem riscos. Por exemplo, segundo uma análise realizada em 2007, mulheres grávidas que sejam grandes consumidoras de café, têm mais hipótese de que os bebés nasçam com menos peso. Além disso, as mulheres que bebem quatro ou mais cafés por dia, têm problemas de  fertilidade. Jornal i

+Ler notícia: http://www.ionline.pt/conteudo/65621-o-cafe-ajuda-prevenir-o-cancro

Crise favoreceu fusão associativa

A nova CIP – Confederação Empresarial de Portugal vai incorporar a componente de representação da AEP e AIP.

“A gravidade da situação das empresas e do País” tornou urgente uma efectiva união de esforços para a criação de uma só voz na representação associativa industrial. É assim que o presidente da Confederação da Indústria – que vai dar origem a um novo organismo de cúpula, a CIP – Confederação Empresarial de Portugal, que chamará a si toda a componente de representação industrial das associações AEP e da AIP – justifica que a fusão, tantas vezes tentada sem sucesso, possa agora avançar: “O enquadramento económico que vivemos aconselha a que olhemos mais para a realidade das empresas e da economia do que, porventura, para protagonismos de qualquer espécie”.

António Saraiva invocou, ainda, a “maturação natural do projecto e a relação pessoal e de confiança entre os dirigentes, que facilitou o diálogo aqui e ali”. A nova confederação, ontem apresentada, assumirá as funções institucionais, de representação e de lobby até agora desenvolvidas pelas três entidades associativas. Seguem-se as alterações de estatutos, mas o objectivo é que em Outubro esteja no terreno. DN Economia

+Ler notícia: http://dn.sapo.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1599537

Portugal ainda é o 9.º mais pobre

Em 2009, portugueses voltam a marcar passo. Poder de compra mantém-se em 78% da média da UE.

Os portugueses estão há três anos a marcar passo no que respeita ao seu poder de compra. Pelo terceiro ano consecutivo, Portugal registou em 2009 um PIB per capita que corresponde a 78% da média da União Europeia (UE), de acordo com os dados ontem divulgados pelo Eurostat, relativos às primeiras estimativas sobre este indicador de riqueza europeu.

No entanto, 2009 foi um ano mau para ganhos de riqueza. A maioria dos países analisados pelo Eurostat perdeu ou manteve a posição do ano anterior. Apenas britânicos, austríacos, malteses e suíços registaram melhorias.

Portugal continua, assim, a ser o nono país mais pobre da UE (22 pontos abaixo da média), ficando atrás de Chipre, Grécia, Eslovénia e República Checa, e com o mesmo nível de Malta. Este país viu a sua posição melhorar dois pontos, de 2008 para 2009, equiparando-se a Portugal.

Em relação ao topo da lista, mantemos a 18.ª posição entre os 27. A liderança do PIB per capita cabe ao Luxemburgo, com uma riqueza que ascende a 268% da média europeia, ou seja, quase três vezes mais. Contudo, os luxemburgueses empobreceram face ao ano anterior, caindo oito posições. DN Economia

+Ler notícia: http://dn.sapo.pt/inicio/economia/interior.aspx?content_id=1599574