Políticos holandeses propõem liberalização das drogas para combater a crise

A proposta é polémica mas recolhe o apoio de juristas, professores universitários e especialistas em estupefacientes.

Um grupo de políticos holandeses, em vésperas das eleições no país, propõe que a legalização das drogas leves seja alargada à cocaína, ao ecstasy e até à heroína, para aliviar o défice orçamental.

Um comércio controlado da droga traria milhões aos cofres do Estado, ao mesmo tempo que acabaria com o crime organizado, alegam os defensores da proposta, entre eles os ex-ministros da Defesa e da Saúde da Holanda, Frits Bolkestein e Els Borst que calculam que as operações policiais, as penas de prisão, a lavagem de dinheiro e muitas outras consequências da proibição das drogas custam ao Estado 15.750 milhões de euros por ano. Diário Económico Online

+Ler notícia: http://economico.sapo.pt/noticias/politicos-holandeses-propoem-liberalizacao-das-drogas-para-combater-a-crise_91533.html

Anúncios

Portugal faz um esforço significativo no combate

O responsável pelo IDT João Goulão elogia o trabalho das polícias nacionais no combate ao tráfico de droga. No entanto, sublinha que o consumo é uma doença e que por isso a prevenção deve continuar a ser uma prioridade sobretudo junto dos grupos de maior risco.

Que investimento é feito e quem lidera o tratamento da toxicodependência?

Há uma complementaridade perfeita entre o IDT as ONG e mesmo o sector privado. O IDT tem um orçamento anual de 65 milhões de euros e a esmagadora maioria do dinheiro é utilizado em tratamento, mas também nos dedicamos à prevenção reinserção social e investigação. Actualmente, tratamos cerca de 45 mil doentes e a maioria está a estudar ou a trabalhar. Diário Económico

+Ler notícia: http://www.mynetpress.pt/pdf/2010/junho/20100607208977.pdf

Brincar na cozinha para combater a obesidade

Chefes famosos põem crianças a confeccionar pratos de fruta e legumes para os fazer consumir comida mais saudável.

Nem sempre é fácil convencer os pais a deixarem os filhos aventurarem-se nos cozinhados, reconhece Conceição Rego, mãe da Patrícia, de sete anos, uma das participantes no workshop de cozinha para crianças realizado na última semana em Évora. “Não a costumo deixar colaborar pois há sempre algum receio em relação ao perigo que representa a utilização de facas e do fogão.” A ideia deste workshops , que estão a decorrer por todo o País com o apoio de vários chefes de cozinha famosos, é exactamente atrair as crianças para a cozinha de forma a combater a obesidade infantil.

Neste dia, em Évora, o líder era o chefe António Nobre, que concorda que a presença de crianças na cozinha é “uma forma de as incentivar” a seguir uma alimentação saudável. “Não quer dizer que não comam hambúrgueres ou esparguetes à bolonhesa que há por aí com muita fartura. Mas devem descobrir os outros sabores e, para isso, o papel dos pais é fundamental”, diz. Um dos truques, desvenda, consiste em adaptar as receitas a cada faixa etária. Por isso, Nobre colocou os mais novos a construir um “Carro do papá” (receita de Henrique Mouro com ananás, kiwi, iogurte e cereais).

Trata-se de descobrir a “arte” de brincar na cozinha que é um desafio que pode ajudar pais e filhos a combater os problemas associados à obesidade, diz Ana Rito, investigadora do Instituto Nacional da Saúde e vice-presidente do Conselho Científico da Plataforma Contra a Obesidade. DN Online

+Ler notícia: http://dn.sapo.pt/inicio/portugal/interior.aspx?content_id=1586955

Segurança Social lança operação para recuperar contribuições em falta

Com esta operação, a Segurança Social deverá notificar 23 mil contribuintes e tentar recuperar contribuições em falta no valor de 140 milhões de euros.

A Segurança Social lançou, esta segunda-feira, uma mega-operação para recuperar contribuições em falta num valor total de 140 milhões de euros, naquela que é a segunda vaga de uma operação de combate à evasão e à fraude.

Segunda a imprensa, serão notificadas no decurso desta operação 23 mil contribuintes, na sua maioria empresas, que terão um mês para responder a estas notificações, pagando na totalidade ou em prestações aquilo que devem.

Caso contrário, serão alvos de uma cobrança coerciva por parte do Estado, que poderá envolver penhoras de contas bancárias e de imóveis, revertendo a dívida para os gestores que são obrigados a assumir do seu bolso a dívida da empresa. TSF

+Ler notícia: http://tsf.sapo.pt/PaginaInicial/Economia/Interior.aspx?content_id=1587274

I Believe

Uma verdaeira fonte de Inspiração e Paixão da vencedora do Ídolos USA e premiada com vários galardões musicais, demonstrando o Poder da Resiliência para ultrapassar os obstáculos desta jovem brilhante cantora: Fantasia

“I finally realise

You see, I have waiting all my life

For this Moment to arise

I believe

I sure believe

Love is lifting my Higher, Higher… Oh Yeahhh”