União Europeia: Grandes empresas obrigadas a relatório anual em nome da “transparência”

45397063

 

A sua empresa tem mais de 500 empregados? Se sim, a partir de agora terá que revelar, num relatório anual não exaustivo, informação ao nível de políticas, riscos e resultados em matérias ambientais, laborais e sociais. Uma proposta de Directiva Comunitária adoptada pela União Europeia no dia 16 de Abril exige-o a partir de então.

 

O objectivo desta medida – cuja implementação total está prevista para 2017 – é o “aumento da transparência das Empresas Europeias no desempenho ambiental e social”, segundo o comunicado de imprensa da Comissão Europeia que responde a eventuais “Perguntas Mais Frequentes” relativas a esta novidade legislativa. O Conselho Europeu e o Parlamento Europeu esperam, assim, contribuir para o “efectivo desenvolvimento do emprego e da economia a longo prazo”.

“A transparência leva a um melhor desempenho”. Eis o ponto de partida desta directiva, baseada na convicção de que a transparência é “parte da solução, não do problema”. As empresas que são transparentes têm melhor desempenho ao longo do tempo, custos financeiros mais baixos, atraem e retêm empregados talentosos e são, finalmente, melhor sucedidas, assinala o comunicado.

O respeito pelos direitos humanos, a corrupção, o suborno e a diversidade na administração de empresas são questões que vão estar em cima da mesa aquando da elaboração do relatório, agora obrigatório, que se pretende ser facilitador de informação e não um documento exaustivo.

Os mentores desta directiva comunitária defendem que esta não será um mero instrumento legislativo, mas que permitirá a adequação das políticas à realidade na qual a empresa intervém e que pode atrair mais investidores. “(Estes) estão cada vez mais interessados em informação não-financeira, com vista a terem um entendimento compreensivo da evolução da empresa, da performance ou do seu posicionamento, analisando exaustivamente esta informação nos seus processos de decisão de investimento”.

Para as empresas terem tempo para desenvolverem procedimentos internos, está previsto que a implementação total da medida ocorra até 2017. Até à adopção desta directiva, já havia cerca de 2500 empresas Europeias que reportavam informação social e ambiental regular e voluntariamente à Comissão Europeia.

De acordo com o comunicado da Comissão Europeia, estima-se que este relatório resulte para as grandes empresas num custo directo adicional de menos do que 5000 euros por ano.

Best practice marketing forum launched for non-profit organisations

Data management specialist Data Discoveries is to host its first best practice marketing forum for non-profit organisations at the Grand Central Hotel on Thursday 18 November between 5.30pm and 7pm.

Data Discoveries has worked with many public sector, blue chip and charitable organisations over the last 15 years.

With an intimate knowledge of how to improve direct mail response with effective database management, this will be the first topic at the forum on 18 November. Attendees at the best practice forum will be shown key tips on how to improve their database to vastly increase response from direct mail, so achieve the best return from marketing expenditure. This will include a question and answer session where attendees can ask specific questions.

According to the Direct Marketing Association, over half of charities spend between £0.5m – £2.5m every year on direct marketing alone. Data Discoveries estimates that up to 30% could be saved through more effective database management.

Ler artigo completo em: UKFundraising

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 34 outros seguidores